Comunique ao organizador qualquer conteúdo impróprio ou ofensivo

sexta-feira, 20 de abril de 2012

CORONEL PAÚL - CONSELHO DE JUSTIFICAÇÃO - DECISÃO DO COLEGIADO.

Eu sou Coronel PM Reformado, apesar desse fato no dia 10 FEV 2012 foi preso acusado da prática de dois crimes militares em âmbito estadual (crítica indevida e incitamento), jogado nos "porões" de Bangu 1 e mantido incomunicável por mais de três dias. A representação pela minha prisão preventiva foi feita pelo próprio comandante geral com base no contido no Inquérito Policial Militar instaurado no dia 06 FEV 2012, no qual eu fui indiciado já na portaria, embora o IPM tivesse como encarregado um Tenente Coronel PM. Em face da decretação da prisão, isso no dia anterior (09 FEV 2012), fui indicado pelo comandante geral para ser submetido a um Conselho de Justificação (CJ), pretensão atendida pelo secretário de segurança, que nomeou o colegiado. O Tenente Coronel foi substituído no IPM por um Coronel PM, isso só após a minha prisão. A investigação continuou no IPM e o encarregado conclui que eu não pratiquei crime militar. Antes do CJ iniciar, fiz dois recursos ao secretário de segurança com relação ao CJ, os quais não foram julgados até ontem, data na qual o colegiado se reuniu e votou. Na votação eu fui considerado inocente das acusações que me foram imputadas. O Conselho de Justificação segue agora para o secretário de segurança, que poderá concordar com o resultado da votação ou discordar e encaminhar o CJ para o Tribunal de Justiça.
Juntos Somos Fortes!

8 comentários:

  1. Disso eu já sabia!!!!!Parabens comandante!!!Agora vamos esperar pelas apurações de suas prisões ilegais e a consequente imputação de culpa aos verdadeiros algozes!!!

    ResponderExcluir
  2. Fico feliz com o resultado caro amigo Cel Paúl.
    Muitos estão na torcida para que o sr vença mais essa batalha.
    Grande abraço
    JSF
    Cap Bm

    ResponderExcluir
  3. Paul so se for ai no RJ,mas a qquestão adminisyrativa, no caso de voces,se não mudaram a lei, e isso so no sentido de ser competenete para solucionar quem pode instaurar,que na PM é o Cmt Geral, o Secretario não decide nada! Remeter para o TJ é dispensavel pois o procedimento é administrativo e não jurisdicional,sendo o TJ incompetente para julgar, diferentemente seria se o caso fosse decorrente de crime, e mesmo assim observa-se o Processo Especial,os quais são geralmente previstos nas leis dos tribunais. So no RJ é assim, prefiro a Paraiba e porque voces metem o paul em nois,né?

    ResponderExcluir
  4. Carta ao Sr. Wagner Montes.

    Outro dia estava assistindo o seu programa na rede Record, e o senhor disse que ninguém defendia mais o policial militar que você, por isso peço ao senhor que leia, pelo menos parte desta carta, em seu programa.
    Esta carta é um desabafo de um policial, e quem sabe de vários outros. Não irei me identificar, pois a instituição tem sido covarde ao retaliar criticas, tanto que exclui sumariamente os grevistas enquanto mantém verdadeiros criminosos em suas fileiras, mesmo após o transito das ações na justiça.
    Estou lhe escrevendo ilustre deputado e conceituado apresentador, porque acredito que o senhor realmente defenda os policiais, porém o que tenho ouvido com freqüência na caserna é que o senhor não defende PM exceto quando se trata de coronel PM.
    Gostaria que o senhor mostrasse para a tropa, o que eu já acredito, que não é um amigo de coronel e sim da instituição, por isso te envio esta carta, em que escrevo o que muitos pensam do Sr Coronel PM Costa Filho, comandante geral da PMERJ.
    Em primeiro lugar, este oficial assumiu o comando da policia após a derrubada arbitraria de seu antecessor, quando acusaram-no de ter prestigiado o coronel Claudio ao dar o comando do 22 para aquele oficial, sem levar em consideração que ainda não era acusado de nada, e se o coronel Mario Sérgio soubesse de algo estaria envolvido, e se não sabia, que mal havia em dar o comando ao oficial?
    Já o coronel Costa Filho assumiu o comando alegando que iria moralizar a PM, e tinha uma solida imagem perante a tropa, tanto que mesmo o senhor na época disse que era um coronel considerado, e todos sabemos que era em relação ao episódio com o deputado Chiquinho.
    Só que o atual comandante geral tem se mostrado um hipócrita descarado, pois alegou que iria moralizar e como sua primeira medida desenterrou a prisão disciplinar, o que só alimenta a corrupção no alto escalão, que não pode ser desafiado pelos subordinados, ou simplesmente prende-os. O comando disse que iria fazer a faxina de cima para baixo, mas só atacou os praças e os oficiais de baixa patente, dando ainda mais poder aos oficiais superiores corruptos.
    No episódio da greve, prendeu os que se levantavam em busca de melhores salários e condições, e transferiu como retaliação muitos policiais da tropa de elite (BOPE), tão prestigiada e qualificada, segundo o próprio governo e a mídia.
    Para abafar o movimento determinou a unificação das escalas, não como boas, mas como justas (24x72 e 12x48), porém após dois meses de escalas justas, decidiu trazer de voltar às escalas de escravos, para garantir aos oficiais a famosa “venda de policiamento”.
    Por fim quero comentar outros pontos do comando geral, um em relação ao batalhão de Niterói, que embora reclame de efetivo, o que também acontece em outras unidades, não tem dado conta do município. O comandante geral anterior caiu por ter dado o comando a um oficial que na época nem era suspeito do assassinato da juíza, porém o atual deu Niterói a um coronel que é suspeito no episódio do sumiço das armas no BEP e de ter descumprido as ordens do próprio comandante geral, ao transferir grande parte dos policiais do BEP para o 17 e depois para o 12. Como pode?

    ResponderExcluir
  5. Por falar em BEP, dizem ainda que o comandante do BEP divulgou que as unidades da corregedoria receberiam uma gratificação em torno de mil reais pela atividade correcional na festa de fim de ano da unidade, na frente até de parentes dos policiais do BEP, porém até agora nada, e pasmem, a corregedoria e todas DPJMs estão recebendo. Parece que o coronel Costa Filho não concorda em incluir o BEP porque considera a unidade “problemática”, descriminando aquele batalhão.
    Tem ainda o caso das UPPs que são meninas dos olhos, mas estão sendo tratadas como lixo, sem alojamento, as policiais femininas urinando na rua, e olha que a prefeitura recolhe que urina na rua durante eventos. Daqui a pouco vai ter guarda municipal levando PM de UPP para a delegacia por mijar na rua.
    Como acredito no senhor, espero que o senhor lei, pelo menos parte, do que esta escrito aqui no ar, e apure alguns fatos.
    Pretendo divulgar essa carta, mas prefiro que o senhor o faça.


    enviado para o e-mail do deputado Wagner Montes as 11 horas do dia 18/04/2012

    ResponderExcluir
  6. Com certeza os verdadeiros Bombeiros e Policiais Militares estão contente, visto que não poderia ser diferente, quando verdadeiramente a justiça deixa de ser cega, surda e muda. Parabens Coronel. Muitos lhe chamam de politiqueiro, e que o senhor não foi um bom corregedor, mas sinceramente não consigo encontrar nada que desabone vossa conduta, mas uma vez meus parabens, abraço de um amigo que muito lhe admira.

    ResponderExcluir
  7. Parabenizo-o por vencer mais esta injustiça contra o senhor Cel Paúl. Guerreiro e amigo de todos nós. Abraços fraterno.

    ResponderExcluir
  8. Roberto Alves de Lima- Cel PM21 de abril de 2012 22:32

    Fico feliz pelo Senhor, mas ainda aguardo o dia em q a reparação pelo mal causado venha. E que ela possa atingir a todos nós, vitimados pelo sistema e açoitados em nosso direitos, de forma plena e justa, com a devida reparação e justiçamento dos algozes.
    Parabéns!!!

    ResponderExcluir

Exerça a sua liberdade de expressão com consciência. Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste blog.