BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os livros publicados pelo Coronel Paúl, encaminhe e-mail para pauloricardopaul@gmail.com

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

FLAPRESS - DESTRUIR A PARCERIA FLUMINENSE-UNIMED - EIS A MISSÃO!


Prezados leitores, a mobilização da torcida do Fluminense contra a ação orquestrada de parte da imprensa no sentido de culpar o Fluminense pelo rebaixamento da Portuguesa, uma das maiores mentiras já construídas na história do jornalismo brasileiro, ainda não trouxe o resultado que todos os torcedores tricolores esperam, ou seja, a investigação criminal dos fatos que denunciamos, mas pelo menos confirmou um fato que pairava entre a realidade e o imaginário futebolístico: a FLAPRESS existe!
A FLAPRESS fez (e continua fazendo) de tudo para proteger o Flamengo de um possível envolvimento no rebaixamento da Portuguesa, jogando toda culpa no Fluminense, apesar de saber que o tricolor não tinha qualquer envolvimento com os fatos.
A organizada FLAPRESS ainda colocou a UNIMED no pacote.
As constatações nos fizeram refletir sobre o interesse da FLAPRESS em destruir a parceria Fluminense-UNIMED, uma intenção que foi materializada em incontáveis artigos que tentavam minar a reeleição do Presidente da UNIMED, Celso Barros, para colocar no seu lugar um torcedor do Flamengo.
Um objetivo salta aos olhos: enfraquecer o Fluminense.
Outro era uma decorrência da eleição: fortalecer o Flamengo (se o torcedor do Flamengo vencesse a UNIMED poderia patrocinar o Flamengo).
Nesse ponto, propomos um questionamento:
- O arqui-rival do Flamengo não é o Vasco da Gama?
Não e sim.
Sim para os torcedores. 
Os torcedores de ambos os times vibram tanto nas vitórias do seu time, quanto nas derrotas do rival, isso é realidade, algo inquestionável.
Não para os mandatários do futebol, os que puxam as cordinhas.
O Vasco da Gama não é o grande rival do Flamengo.
Isso é fácil de demonstrar.
A UNIMED começou a patrocinar o Fluminense quando o clube estava na Série C do Campeonato Brasileiro, portanto, no fundo do poço.
Para facilitar o raciocínio vamos considerar as conquistas dos grandes do Rio de Janeiro nos últimos 10 anos (2004-2013).
Nesse período nenhum deles ganhou um título internacional.
O Botafogo só ganhou 3 Campeonatos Cariocas.
O Vasco da Gama só ganhou 1 Copa do Brasil..
O Fluminense ganhou 2 Campeonatos Cariocas, 1 Copa do Brasil e 2 Brasileirões.
O Flamengo ganhou 5 Campeonatos Cariocas, 2 Copas do Brasil e 1 Brasileirão.
Confere?
O Flamengo é o grande vencedor no estado, mas no âmbito nacional perde para o Fluminense.
Além disso, nesse período, o Fluminense foi vice de uma Libertadores e vice de sul-americana, não podemos esquecer.
Salvo melhor juízo, está bem clara a motivação da FLAPRESS para destruir a parceria Fluminense-UNIMED.
A título de curiosidade leiam uma matéria publicada no site da "Revista Época - Negócios"em 2012.
Isso mesmo, na parte de negócios da revista (Link).
A Revista Época pertence às Organizações Globo, não custa lembrar.
Outra matéria interessante foi publicada no ano passado no site da SPORTV (Leiam).
O Grupo Lance não poderia estar fora dessa luta (Leiam).
Destruir a parceria Fluminense-UNIMED, eis a missão!

Juntos Somos Fortes!



NOTÍCIA SOBRE A SENADORA MARTA SUPLICY - DESMENTIDO



Prezados leitores, a seguir transcrevemos um comentário recebido que trás esclarecimentos sobre o artigo publicado pelo jornalista Lauro Jardim, na Revista Veja, transcrito nesse espaço com o título "Comandante faz senadora Marta descer do avião".

COMENTÁRIO:
"Michel
28 de fevereiro de 2014 18:39 
Essa "notícia" é requentada e vem desde 2008. É uma versão que alguém contou a Lauro Jardim (da anti-petista Veja) e espalhou-se pela mídia (anti-petista) como verdade. Não há um único testemunho dando conta que o incidente (se aconteceu) foi da forma em que foi contada. Quem é torcedor do Fluminense sabe como essa coisa da "mentira repetida mil vezes" funciona. E agora em 2014, ano eleitoral, essas mentiras serão furiosamente espalhadas. Sei que este blog do Coronel não se prestará a tal papel. No mais, que tal ouvir o outro lado? vou deixar 2 links:


Nós acessamos os dois links constatando que a notícia dada por Lauro Jardim é desmentida neles.
Ouvir os dois lados, aliás, ouvir todas as versões, isso é um dever de quem pretende informar.
Grato pelo comentário, Michel.

Juntos Somos Fortes!

NÓS ACREDITAMOS! VEM PRA RUA!

Prezados leitores, nós acreditamos que o povo pode mudar o Brasil indo para as ruas protestar por mudanças, mas isso só será factível quando os atos forem organizados (o que determina a existência de líderes ou de organizadores e de uma pauta de reivindicações) e operacionalizados de forma ordeira e pacífica.

.

 Juntos Somos Fortes!

CASO HERNANE: A TORCIDA DO FLAMENGO É FACILMENTE MANIPULADA



Prezados leitores, futebol é paixão!
Sim, ninguém dúvida.
A paixão cega, ensina o dito popular.
Sim, isso também é verdade.
O torcedor é um apaixonado por seu time e fica cego em vários momentos em face desse sentimento.
Nós não temos "bola de cristal", como alguns "jornalistas" parecem possuir, portanto, não podemos afirmar que o torcedor rubro-negro é o mais apaixonado do Brasil, mas a convivência com eles demonstra que pelo menos são os que ficam cegos mais facilmente quando o tema é o seu time de coração.
O "caso Hernane" é uma prova incontestável.
Os órgãos da imprensa que apoiam claramente o Flamengo estão, mais uma vez, manipulando a verdade e transformando a permanência do jogador em uma novela mexicana, quando a verdade salta aos olhos.
Sim, a verdade está diante dos olhos de todos, mas quem está cego não consegue vê-la e acaba acreditando no que contam sobre o fato.
Não foi Hernane que resolveu ficar no Flamengo, atendendo aos apelos da "Nação", foram os chineses que desistiram dele por não aceitarem pagar à vista como queria o Flamengo.
Eis a verdade.
Apesar dos fatos, órgãos da imprensa que apoiam o Flamengo, como o Grupo Lance, transmitem outra realidade como a foto que ilustra a página do "time da imprensa" no Lance!net (Link) e que publicamos nesse artigo.
Não custa lembrar que foi o Lance!net o primeiro a publicar que André Santos não poderia jogar contra o Cruzeiro por estar suspenso e foi um dos quatros sites que se calaram após ele ter jogado.
O Lance!net não esconde sua opção, basta entrar hoje na página do Fluminense para entender. A página parece ter sido montada por um inimigo do Fluminense (Link), como denunciaram no twitter.
Prezado rubro-negro, não se deixe manipular.
No intuito de ajudar a "Nação" publicamos um artigo do jornalista Cosme Rímoli.
Não acreditem piamente no que ele escreveu, mas abram a cabeça para ouvir outra versão e para construir a própria opinião.
"SITE R7 
Publicado em 27/02/2014 às 14h12 
Não tem nada de romântica a permanência de Hernane no Flamengo. O coro da torcida foi lindo, mas nada significou. Ele só não foi embora porque os chineses não quiseram pagar à vista. Simples assim…
Foi tocante o coro da torcida do Flamengo. 
Na importante vitória sobre o Emelec, o coro dominou o Maracanã.
"Fica, fica, fica..." 
Os torcedores imploravam pela permanência de Hernane. 
Ele agradecia, emocionado. 
Quando marcou o seu gol, fez questão de beijar a camisa rubro negra. 
"Nunca imaginei isso na minha vida. 
A torcida do Flamengo me pedindo para não ir embora. 
Ainda mais no Maracanã...
Parecia um sonho." 
Foi assim que definiu a cena incrível que viveu ontem. 
E com toda razão. 
Há dois anos ele estava no Mogi Mirim. 
Sem despertar a menor atenção da imprensa. 
E mesmo dos grandes clubes paulistas. 
Foi vice-artilheiro do Estadual, mas não houve empolgação. 
Os treinadores e os dirigentes não levam a sério destaques no estadual.
Seu currículo não o recomendava. 
Começou no Atibaia, não foi aproveitado pelo São Paulo. 
Passou por Rio Preto, Toledo, Paulista até chegar no Mogi.
Primeiro o Flamengo o levou por empréstimo. 
Depois como os gols vieram, o clube comprou 50% dos seus direitos.
O restante ficou dividido da seguinte forma. 
35% para o empresário Paulo Pitombeira e 15% para a empresa Energy Sports. 
2013 foi um ano fabuloso para o jogador. 
Muito melhor do que até ele mesmo esperava.
Nunca atuou tão bem e nem marcou tanto. 
Fez 36 gols e se transformou no artilheiro do Brasil. 
Seu contrato é por objetivo. 
E logo seu salário pulou de R$ 50 mil para R$ 150 mil.
A torcida se apaixonou pelo "Brocador", a imprensa carioca adora apelidos. 
Seu estilo nunca foi refinado com a bola nos pés. 
Muito pelo contrário, em várias jogadas é tosco. 
Ele é o típico jogador do último toque. 
Mas Hernane deixou no banco de reservas Marcelo Moreno. 
Sem contestação. 
O boliviano havia sido contratado para ser até estrela do time. 
Só que o baiano de 1m84 e 27 anos não deixou. 
Logo a diretoria flamenguista discutia muito sobre ele. 
E se dividiu. 
Uma ala insistente repetia que o melhor seria negociá-lo na 'alta'. 
E poderia estar vivendo uma 'maré de sorte'. 
Ele já tem uma idade avançada para os padrões do futebol moderno. 
Clubes do Exterior costumam fazer suas apostas em atletas até 23 anos. 
Para que, em caso de sucesso, repassá-los a um clube maior.
O Al Jazira dos Emirados Árabes surgiu com a proposta sonhada. 
Seriam 6 milhões de euros, cerca de R$ 19,5 milhões. 
Mas o detalhe. 
O clube queria dividir o pagamento em seis vezes. 
A direção exigia o dinheiro à vista. 
O medo de calote é uma constante no futebol mundial.
Os árabes se dispuseram a pagar em três vezes de 2 milhões de euros. 
Nada feito... 
Houve um arrependimento de pelo menos metade da diretoria. 
Eram insistentes as lamentações. 
O medo de ser apenas atacante de uma temporada boa e nada mais. 
Empresários continuaram buscando negócio para Hernane. 
Foi quando apareceram os chineses do Shangai Shenshua. 
A proposta era de 3,5 milhões de euros, cerca de R$ 11,2 milhões. 
Outra vez muita discussão na Gávea. 
O clube continua precisando muito de dinheiro. 
A diretoria espera arrecadar R$ 350 milhões este ano. x
O acordo com o consórcio Novo Maracanã, o projeto dos sócios-torcedores... 
E principalmente o dinheiro dos patrocinadores seria fundamental até chegar a este valor. 
Mas o clube se prepara para pagar pelo menos R$ 100 milhões das dívidas acumuladas. 
Quando essa diretoria assumiu, elas atingiam R$ 750 milhões. 
A meta é chegar no final de 2015 devendo R$ 400 milhões. 
Para isso, qualquer bom negócio é bem vindo. 
Os chineses ofereciam salário de R$ 425 mil ao atacante. 
O empresário Pitombeira, ficou empolgado. 
O contrato era de três anos. 
Só que ao ser revelada a proposta, a imprensa carioca pressionou. 
Exigia sua permanência no clube. 
Como o Flamengo abriria mão de seu artilheiro na Libertadores? 
E até parte dela defendia sua convocação para a Seleção Brasileira. 
Houve uma comoção na torcida. 
O atacante continuava a marcar gols. 
Mesmo assim, não importava. 
A diretoria flamenguista queria o dinheiro. 
Enquanto acontecia a partida de ontem contra o Emelec, reuniões se sucediam. 
Os chineses sabiam. 
Os dirigentes cariocas haviam avisado. 
Queriam o dinheiro à vista. 
Mesmo assim eles tentavam parcelar. 
Como última tentativa, pediram o prazo de sete dias.
Mas precisavam da documentação do jogador para registro na China. 
E imediatamente. 
A janela iria se fechar. 
Foi quando a ala que defendia o atleta na Gávea se fez ouvir. 
O combinado entre eles é que grande transação exige dinheiro à vista. 
A direção do Shangai Shenhua negociava um plano B. 
Se preparou para a negativa do Flamengo. 
E não perdeu tempo, comprou o colombiano Luis Carlos Ruiz, do Junior Barranquilla. 
Pagará US$ 4 milhões, cerca de R$ 9,4 milhões, parcelados.
Seria muito romântico dizer que foi o coro dos flamenguistas. 
Que a diretoria ficou tocada e desistiu do negócio. 
Segurou Hernane pela maior torcida do Brasil. 
A verdade é que ele não foi para a China por medo de calote. 
Hernane ficou feliz com a decisão. 
E que sua meta agora é lutar pela remota chance de ainda estar na Copa. 
Ser a surpresa de Felipão na convocação do Mundial. 
Ninguém tem o direito de o impedir de sonhar. 
O cenário de ontem no Maracanã foi a maior prova. 
A torcida do Flamengo cantando em coro que fique na Gávea.
Se no Mogi em 2012 tivesse a coragem de dizer que isso aconteceria... 
Não haveria dúvidas. 
Seria chamado de louco. 
Quem tem coragem de chamar Hernane de louco por sonhar com Seleção? 
Por via das dúvidas, a diretoria aceita qualquer consulta por ele. 
Desde que o interessado pague à vista... (Fonte) "

Juntos Somos Fortes!

GOVERNO SÉRGIO CABRAL: NOVO ESCÂNDALO



Prezados leitores, mais um escândalo envolvendo o governo Sérgio Cabral.

"REVISTA ÉPOCA 
Novos documentos fazem renascer denúncias contra aliados de Sérgio Cabral
E podem reabrir investigações sobre as relações entre o governo do Rio de Janeiro e a empreiteira Camargo Corrêa 
RAPHAEL GOMIDE
27/02/2014 21h05 - Atualizado em 27/02/2014 22h06 
Era uma terça-feira. Aparentemente, seria mais um dia normal na Camargo Corrêa, um dos maiores grupos empresariais brasileiros, com 58 mil funcionários espalhados pelo país e pelo mundo. Mas aquele 25 de março de 2009 não foi um dia comum. Tinha tudo para ser lembrado como o início de um dos mais rumorosos casos de promiscuidade no Brasil, entre uma empreiteira e partidos políticos. Naquela manhã, 40 policiais federais varejaram o edifício sede da Camargo Corrêa, em São Paulo, e também casas e escritórios de funcionários e lobistas, suspeitos de operar um esquema de lavagem de dinheiro para a construtora. Na ação, batizada de Castelo de Areia, os policiais apreenderam uma série de documentos que, segundo eles, traziam indícios de transferências de recursos para políticos de diversos matizes, em contas no Brasil e no exterior. Entre os citados na papelada estavam nomes de PMDB, PT, PSDB, PR, DEM, PCdoB, PSB e PP. A operação que prometia dinamitar gabinetes em todo o país acabou desmontada no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Sob a alegação de que a ação da PF se baseara numa denúncia anônima, os ministros do STJ suspenderam o processo e anularam as provas recolhidas pela Polícia Federal. 
O Ministério Público Federal discordou da decisão e, em agosto de 2012, recorreu ao Supremo Tribunal Federal. Em dezembro do ano passado, a subprocuradora-geral da República Maria das Mercês Aras, que atuou no caso, recebeu um conjunto de documentos que não integravam o processo original da Castelo de Areia. Por considerá-los relevantes, ela remeteu os documentos a Rodrigo Janot, Procurador-Geral da República, que representa o Ministério Público no STF. Empossado em setembro, Janot disse a sua equipe que tem interesse especial na Castelo de Areia. Segundo os procuradores envolvidos no caso, tais documentos, a que ÉPOCA teve acesso, podem levar à reabertura da Castelo de Areia. Os mesmos documentos causaram apreensão no grupo próximo ao governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral. 
O cruzamento dos novos documentos com os relatórios anteriores da Castelo de Areia revela os bastidores da renovação da concessão do Metrô Rio, sem licitação, assinada por Sérgio Cabral no final do primeiro ano de seu governo, em 2007. Por meio de um Instrumento Particular de Transação, a então concessionária do metrô, a Opportrans, quitou uma antiga dívida do Estado com a Camargo Corrêa, por obras não concluídas de expansão do metrô nos anos 1980. A Camargo Corrêa, em contrapartida, encerrou cinco ações judiciais contra o Estado. O valor da dívida foi estimado em R$ 40 milhões. Em troca, o governo antecipou em dez anos a renovação do contrato da Opportrans e ainda a estendeu por mais 20 anos, até 2038. Esse acordo foi publicado no Diário Oficial, de forma discreta, no dia 31 de dezembro. Há uma incrível sucessão de coincidências entre as datas e os valores dos pagamentos estipulados no acordo e os documentos apreendidos na Castelo de Areia (Leiam mais).

Juntos Somos Fortes!

HOMICÍDIOS CRESCEM NO RIO DE JANEIRO



Prezados leitores, a população do Rio de Janeiro pede socorro!
Em 2013, 4.761 homicídios foram registrados no Rio de Janeiro (sem falar nos desaparecidos).
Isso significa que 13 pessoas são assassinadas por dia no estado.
Uma a cada duas horas.
Socorro!

"O DIA
28/02/2014 00:10:38
Homicídios em alta no estado
Após três anos em queda, mortes aumentaram em 16,7%, se comparados 2013 com 2012
MARIA INEZ MAGALHÃES
Rio - Após três anos consecutivos em queda, o número de assassinatos no estado voltou a subir. Em dezembro de 2008, a cidade ganhou a primeira Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) — implantada no Santa Marta, em Botafogo. O principal projeto de segurança do governo de Sergio Cabral, que hoje conta com 37 UPPs, ajudou a explicar essa redução, disse a Secretaria de Segurança inúmeras vezes. 
Porém, dados divulgados ontem pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) mostram que os homicídios dolosos (com intenção de matar) subiram 16,7% ano passado em relação a 2012, num total de 680 mortes a mais. Em 2013 foram registrados 4.761 assassinatos contra 4.081 em 2012.
O último aumento de casos de homicídios registrados no estado, de acordo com o ISP, foi em 2009. Naquele ano, foram 5.793 assassinatos, um aumento de 1,3% em relação a 2008, quando esse número foi de 5.717 (76 a mais) (Leiam mais)".

Juntos Somos Fortes!

COMANDANTE FAZ A SENADORA MARTA DESCER DO AVIÃO



Prezados leitores, imaginem os passageiros do avião. 

"COMANDANTE FAZ A SENADORA MARTA DESCER DO AVIÃO EM VOO PARA A FRANÇA!
Publicado por blogflaviochaves em janeiro 27, 2014 em Notícias, Política 
Por Lauro Jardim 
Não foi exatamente tranquilo o início do vôo 455 da Air France que decolou de São Paulo para Paris. A responsável pela trepidação foi Marta Suplicy, que ia para a China, com escala em Paris. 
Ao embarcar, o casal Marta e Luis Favre relaxou e decidiu não passar pela revista de bagagem de mão feita por raios X. Os Favre furaram a fila da Polícia Federal. Vários passageiros se revoltaram. Marta respondeu que, no Brasil, as autoridades não estão obrigadas a cumprir as exigências que recaem sobre os brasileiros comuns. 
Os passageiros “não relaxaram” com a explicação. Continuaram a reclamar, mesmo com todos já embarcados. Deu-se, então, o inusitado : o comandante do Boeing 777, um francês, que mais parecia oficial da famosa e inesquecível “Legião Estrangeira”, daqueles soldados que ao cumprimentarem batem os calcanhares das botas e se inclinam respeitosamente, saiu da cabine do avião, chamou a segurança do aeroporto, mandou abrir as portas da aeronave, e avisou com voz solene, em português mas com forte sotaque francês, o seguinte : 
— Boa noite senhores passageiros. Aqui quem fala é o Comandante. Comunico que o avião não irá decolar enquanto o casal, um que se encontra na classe executiva e outro na primeira classe, não sair dos seus assentos e, levando duas bagagens de mão, passarem pelos equipamentos de raios-X. Os seguranças do aeroporto irão acompanhá-los até o local dos equipamentos. 
Marta Suplicy deixou seu assento na primeira classe (Favre estava na executiva) e, azul de raiva, com a cara de bunda, escoltada pelos seguranças foi cumprir a ordem do comandante. Nesse instante, os passageiros ‘relaxaram e gozaram’, com grande alarido, e aplaudiram o comandante. A viagem transcorreu num clima de festa para os passageiros, e de velório para a dupla de pobres arrogantes".

Juntos Somos Fortes!

BRASILEIRÃO 2013: MAIS UM VACILO DA PORTUGUESA



Prezados leitores, transcrevemos um comentário recebido sobre o que seria um erro administrativo da Portuguesa após a saída de Héverton.
Por favor, leiam e tirem as suas conclusões, nós comentaremos as nossas após o recebimento de alguns comentários, pois nosso objetivo é que cada um forme a sua opinião.

COMENTÁRIO:
"Eduardo
27 de fevereiro de 2014 19:30
Coronel, essa notícia é do dia 08/02/2014. Não comentei nada antes porque imaginei que outros o fariam no meu lugar. Ela revelaria a má-fé, burrice, amadorismo ou o que quiserem da Lusa. Eu penso ser importante compartilhar, para quem ainda não leu.
Essa notícia foi publicada pelo jornal "O Globo", em sua coluna "Panorama Esportivo", do caderno "Esportes". Os autores são Jorge Luiz Rodrigues e Maurício Fonseca. Seguem o link e o texto, transcrito:
"Mais um vacilo da Lusa
A diretoria jurídica da Portuguesa vacilou outra vez com relação ao jogador Héverton, cuja escalação irregular custou ao clube a perda de quatro pontos e o rebaixamento para Série B. A Portuguesa havia recorrido contra a suspensão de Héverton por dois jogos pelo STJD, quando ele foi expulso em partida anterior, contra Bahia, por ofender o juiz. No entanto, ao vendê-lo este ano para o Paysandu, não cumpriu a obrigação legal de avisá-lo ou ao novo clube sobre o julgamento do recurso pelo Pleno, ocorrido ontem (6/2). Resultado: a suspensão do jogador foi mantida e a Portuguesa deverá ser denunciada pelo descumprimento do artigo 50-A do CBJD, podendo ser multada em até R$ 100 mil."
ST

Juntos Somos Fortes!

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

O PULO DO GATO (03) - LANCES DECISIVOS DO FLAMENGO CAMPEÃO BRASILEIRO DE 1982

Prezados leitores, vejam lances decisivos do título de Campeão Brasileiro de 1982 conquistado pelo Flamengo.

- SPORT x FLAMENGO



- GRÊMIO X FLAMENGO

 

Juntos Somos Fortes!

O PULO DO GATO (02) - UM SHOW DE "MENTIRAS" CONTRA O FLAMENGO

Prezados leitores, recebemos esse vídeo de 2010 e ficamos estarrecidos com o verdadeiro show de "mentiras" sobre o Flamengo e sua torcida contido nele.




Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO: SERIA A UNIMED A PRINCIPAL SUSPEITA? MARCOS GOMES



Prezados leitores, mais um excelente artigo do amigo Marcos Gomes.

O Escândalo do Brasileirão – Seria a UNIMED a principal suspeita? 
Muitos têm sido os argumentos utilizados pelos flamenguistas para isentar seu clube da suspeita de ter comprado a Portuguesa. Um dos principais é que, como os cofres do Canindé estavam vazios, o pagamento dos atrasados dos jogadores rubro-verdes na 6ª feira 06/12 só poderia ter sido feito com dinheiro sujo. Como o Flamengo só ficou em situação difícil no dia seguinte, após escalar André Santos indevidamente, o rubro-negro não poderia ser o autor do pagamento.Aliviados por encontrar esse suposto álibi, alguns dos fãs do Flamengo ainda vão além. Para tentar afastar definitivamente as suspeitas da Gávea, acusam a UNIMED de ser a responsável pela compra da vaga da Lusa na Série A. Só que os que assim argumentam têm algumas questões a resolver para tornar essa teoria plausível. A primeira: por que o dinheiro teria de vir necessariamente da UNIMED? Não haveria outros interessados em que a Lusa perdesse pontos? Já foi visto que, antes do Flamengo se juntar ao grupo dos interessados no sábado à noite, Fluminense, Vasco, Coritiba e Criciúma também poderiam desejar uma punição da Portuguesa, pois isso melhoraria suas chances de não cair
Então por que a UNIMED é a única suspeita e os demais clubes e patrocinadores devem ser descartados? Há provas de que ela seja a mais rica, antiética ou que teria mais a perder que os demais?
A verdade é que sequer se pode afirmar que a queda do Flu fosse financeiramente ruim para a UNIMED. A cooperativa já vinha com uma política de diminuição de investimentos no clube desde o início de 2013. A prioridade era a rede de hospitais novos. Sendo assim, a Série B em 2014 poderia representar uma oportunidade de montar um elenco mais barato. Por outro lado, Flu e Vasco juntos na Segundona certamente monopolizariam a atenção daquele campeonato, o que daria uma excelente exposição a seus patrocinadores. Lembrem que um executivo da Nissan já havia confidenciado que para a sua marca era melhor ver o Vasco brilhando na B que penando na A, prova evidente de que os patrocinadores não pensam só com paixões clubísticas. Quem sabe então até ficasse melhor e mais barato para a imagem da cooperativa carioca capitanear a volta do Flu em grande estilo?
Alguns flamenguistas dizem ainda que a Segundona seria péssimo para as pretensões de reeleição de Celso Barros e que por isso ele faria de tudo para evita-la. Será? Pelo que foi dito acima, parece que seria justamente o contrário: CB poderia alardear para os seus eleitores um melhor custo benefício com o patrocínio ao Flu.
Outra questão que faz a teoria flamenguista não encaixar no quebra-cabeça é que seria uma estupidez tremenda pagar para que a Lusa colocasse Heverton em campo no domingo antes de ter certeza absoluta de que ele seria condenado. Para entrar num esquema arriscado e caro como esse, no mínimo a UNIMED teria que ter garantias de que o jogador pegasse ao menos duas partidas de gancho, pois ele já havia cumprido uma de suspensão automática. Para isso, a cooperativa deveria pagar para o advogado da Lusa fazer uma defesa ruim e para o relator do STJD propor uma pena mínima de dois jogos. Só que existia também o risco dos demais auditores não seguirem o voto do relator, o que não é incomum. Então, bom mesmo seria comprar mais dois deles para garantir a maioria de 3 votos. Impossível? Não, porém bastante improvável. Outra dificuldade é que todos sabiam que a Lusa estava quebrada, então deveria se pensar numa explicação plausível para a origem do dinheiro com que ela quitou os salários de seus jogadores.
A versão dada pelo novo Presidente Ilídio Lico foi que ele e outros conselheiros da Lusa fizeram uma “vaquinha” para isso (http://globoesporte.globo.com/futebol/times/portuguesa/noticia/2013/12/novo-presidente-promete-pagar-salarios-do-proprio-bolso-e-lusa-treina.html). Se ele mentiu, então a UNIMED deve ter comprado também a ele e mais alguns de seus pares para confirmarem a história. Vejam então que, para atender à teoria flamenguista, muita gente já teria de ter sido subornada antes mesmo do martelo bater para Heverton. A UNIMED, ou quem quer que tivesse decidido comprar a Lusa antes de 6ª feira, teria de ter no seu bolso o relator e a maioria dos auditores do STJD, o advogado e o novo Presidente da Portuguesa, assim como alguns de seus conselheiros. Além desses, obviamente ainda precisaria já ter fechado com mais meia dúzia de pessoas dentro do Canindé para garantir que o jogador, depois de suspenso, fosse relacionado. É muita gente envolvida só para poder dar início a um arriscadíssimo esquema fraudulento!
Será então que existe outra teoria mais plausível para explicar o pagamento dos atrasados na Lusa?
Sim. A mais simples é que o novo Presidente da Lusa de fato tenha falado a verdade. Lembrem que havia uma ameaça de greve por parte dos jogadores. Se eles não jogassem, a Lusa poderia ficar em sérios apuros, pois existem punições severas para clubes que não põe seus atletas em campo. Já que Manuel da Lupa parecia não ter interesse algum em resolver o problema, pois deixaria a presidência em poucos dias, cabia a Ilídio Lico buscar uma solução, senão ele é que depois pagaria o pato.
Mas vamos supor que Lico mentiu. De onde então teria vindo o dinheiro?
Lembrem que havia outros interessados em evitar a greve dos jogadores da Portuguesa, que, devido ao apoio do Bom Senso F. C., ameaçava se espalhar e parar o campeonato. Os mais preocupados eram a CBF e a Globo. Elas poderiam fazer alguma coisa? Sim, era só oferecer um empréstimo emergencial ou adiantamento de cotas para a Lusa saldar o débito e assim desarmar a bomba. Obviamente a operação, apesar de perfeitamente legal, deveria ser encoberta, caso contrário haveria uma fila de pretendentes falidos querendo o mesmo benefício.
De tudo o que foi dito aqui, conclui-se que é extremamente improvável que alguém tenha comprado a Lusa antes de conhecer a sentença de Heverton, na 6ª feira à noite. Como não existe nenhuma prova convincente de que o atleta tenha sido escalado antes de sábado à noite (vide em http://blogcoronelpaul.blogspot.com.br/2014/02/o-escandalo-do-brasileirao-sobre-fatos.html), a conclusão é que o Flamengo não pode ser descartado da lista de suspeitos.
Prezados leitores, penso que ao invés de ficar buscando álibis frágeis para o seu clube, os flamenguistas deveriam é se juntar ao coro tricolor, exigindo uma investigação policial para o Caso Lusagate. Se eles tivessem tanta certeza assim da inocência dos dirigentes da Gávea, provavelmente estariam tão interessados quanto nós na apuração. Foi justamente por terem preferido abafar o Caso Papeletas Amarelas há quase 30 anos que eles carregam essa mancha até hoje. Vão querer repetir a dose?
Um abraço.
Marcos Gomes

Juntos Somos Fortes!

PT EXPLICA ESSA CONTA ...

Prezados leitores, essa conta está errada...



A figura está circulando pelas redes sociais.

Juntos Somos Fortes!

EX-PRESIDENTE LULA APOIANDO MADURO PARA PRESIDENTE DA VENEZUELA

Prezados leitores, recebemos esse vídeo por e-mail:


Juntos Somos Fortes!

BLOCO DOS APOSENTADOS - AMANHÃ - 15:00 HORAS - CANDELÁRIA

Prezados leitores, amanhã, às 15:00 horas, o Bloco dos Aposentados Brasileiros se concentrará na Candelária.
Participam do bloco os ex-funcionários da Varig e Transbrasil, assim como, os aposentados do Fundo AERUS, os quais lutam há anos pelos seus direitos.
Venha brincar, venha apoiar a luta dos aposentados e venha exercer sua cidadania.






Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO: ALGUÉM IMAGINA A RECORD POUPANDO A GLOBO?



Prezados leitores, todos e todas que acompanharam as dezenas de artigos que foram publicados nesse espaço democrático, tanto da nossa lavra, quanto da autoria de terceiros, assim como, todos que assistiram os vídeos que produzimos, devem estar fazendo a pergunta que integra o título desse artigo e que podemos reescrevê-la da seguinte forma:
- O que está fazendo com que o escândalo do Brasileirão 2013 não seja divulgado?
A pergunta é uma decorrência lógica diante da quantidade muito grande de fatos e de indícios que promovem suspeição envolvendo a última rodada do Brasileirão, situação que determinaria a divulgação do escândalo, isso em situação de normalidade.
Um escândalo político, por exemplo, com um número muito menor de fatos e indícios relacionados faria com que a imprensa não pensasse um segundo para promover uma ampla divulgação, como ocorre quase que diariamente. Basta surgir um papel com nomes de políticos e números para virar manchete.
No caso do Brasileirão a imprensa está tendo uma postura contraditória.
No momento que o escândalo envolvia o Fluminense,  quando o clube era o "acusado" de virar a mesa, a imprensa esquartejou o Fluminense e a sua torcida, mas quando ficou provado que isso era uma grande mentira e que poderia existir um escândalo de verdade por trás da escalação do jogador Héverton, envolvendo outros clubes, a imprensa se calou.
Prezados, o silêncio da imprensa sobre esse escândalo é anormal, temos certeza que todos concordam.
Se o silêncio é anormal, algo está fazendo com que ele persista. 
O quê?
A situação é tão fora da realidade que organizações jornalísticas que não estariam envolvidas em princípio com o escândalo, ou seja, que não participaram do cala boca inicial sobre a situação do Flamengo após escalar André Santos, também optaram pelo silêncio em um tema que pode desmoralizar concorrentes diretos no mercado da informação.
Alguém imagina a RECORD poupando a GLOBO?
Isso é surreal.
Certamente, se perguntarmos aos "jornalistas" o motivo do silêncio, eles responderão sem pestanejar e bem ensaiados:
- Não existe escândalo, por isso não existe divulgação.
Isso seria também lógico: sem escândalo, sem notícia.
Todavia eles próprios condenaram essa resposta pois divulgaram exaustivamente uma virada de mesa por parte do Fluminense que nunca existiu. Portanto, eles mentem quando interessa a eles, descaradamente.
Além disso, o simples fato de quatro sites não terem noticiado a situação na qual o Flamengo se colocou, apenas isso, é material suficiente para promover um escândalo pois gera enorme desconfiança sobre o alegado "esquecimento múltiplo".
Algo está segurando a divulgação e, provavelmente, está segurando também a investigação.
Nós arriscamos que o escândalo está sendo sufocado em face de interesses financeiros de cifras inimagináveis, pois muitas empresas teriam um prejuízo gigantesco com a desmoralização que se seguiria a divulgação dos fatos, isso sem falar na possibilidade dos indícios serem confirmados, o que seria um desastre completo em termos financeiros e em termos de credibilidade.
Um escândalo sobre o futebol brasileiro no ano que o Brasil organiza a Copa do Mundo seria catastrófico.
Na nossa opinião, atualmente só existe um grupo interessado na investigação dos fatos e na sua publicidade: o grupo de torcedores do Fluminense que se mobilizou em defesa do clube e da torcida.
Só nós queremos que a investigação ocorra, doa a quem doer.
Infelizmente, somos poucos, talvez em número insuficiente para romper essa blindagem, mas se nós desistirmos eles vencerão, isso é fato.
Nós podemos não tirar o sono deles em todas as noites, mas podemos provocar alguns pesadelos, vez por outra.
É hora de assustá-los.

Juntos Somos Fortes!

POLICIAIS MILITARES, AS PRINCIPAIS VÍTIMAS DA "PACIFICAÇÃO" DO RIO DE JANEIRO



Prezados leitores, um novo ataque a Policiais Militares no "Rio Pacificado".

"FACEBOOK
Roberta Trindade
Cumprindo missão da P4 (Setor de Manutenção e Logística) do 5ºBPM, o sub-tenente Derlei e o cabo Lisboa foram baleados tentando sair de um engarrafamento em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. 
Os PMs iam fazer um retorno em frente à Favela Beira Mar e ligaram o giroflex e a sirene da viatura para abrir passagem em meio ao trânsito congestionado. 
Três criminosos que estavam no interior de um carro logo na frente - um Jetta - acharam que seriam abordados e desceram do veículo armados de fuzil e efetuaram diversos disparos contra a viatura. 
Os PMs não tiveram tempo de reagir. O cabo foi atingido por dois tiros na cabeça e o sub-tenente Derlei foi baleado no ombro. Os dois foram socorridos. O cabo Lisboa está em estado grave. 
Os bandidos fugiram e abandonaram o carro na Rodovia Washington Luís. Cinco pessoas que estavam em outros automóveis foram atingidas por balas perdidas (Fonte)". 

Juntos Somos Fortes!

1964, MEIO SÉCULO DEPOIS - RICARDO VÉLEZ RODRIGUEZ



Prezados leitores, um artigo sobre os 50 anos do início dos governos militares.

O ESTADO DE SÃO PAULO
1964, meio século depois
26 de fevereiro de 2014 | 2h 09 
Ricardo Vélez Rodríguez* - O Estado de S.Paulo
Há 50 anos eclodia a intervenção militar de 1964. Embora cogitada inicialmente como uma correção de rumo na desastrada ladeira por onde havia enveredado o populismo janguista, o regime castrense terminou durando mais do que se imaginara inicialmente e acabou por desgastar as Forças Armadas, em governos de força que se estenderam ao longo de duas décadas. Esse é um período suficientemente longo como para imprimir num país diretrizes novas e, também, para cometer erros conjunturais e estratégicos. Ora, ambas as coisas precisam ser analisadas, notadamente no ambiente universitário, que deve ser, nas sociedades hodiernas, o celeiro de ideias novas, bem como o filtro por onde passam os acontecimentos à luz crítica da razão, a fim de que, com esse patrimônio de ilustração, se beneficiem as gerações futuras. 
No caso da avaliação do regime militar, não foi isso exatamente o que ocorreu no Brasil. As universidades brasileiras, em especial as públicas, controladas a partir da abertura democrática pela esquerda raivosa, acabaram fazendo da memória de 1964 ato indiscriminado de repúdio aos militares e às diretrizes por eles traçadas, fazendo com que uma cortina de fumaça terminasse pairando sobre essa importante etapa da nossa vida republicana. 
As coisas não mudaram com a chegada dos esquerdistas ao poder, notadamente no ciclo do lulopetismo. A criação, pelo atual governo, da "Comissão da Verdade" visando a uma "omissão da verdade" e que coloca sob os holofotes a repressão praticada pelo Estado sem, no entanto, relembrar nada do terrorismo praticado pela esquerda radical, está a revelar que pouco se progrediu nesse terreno. A finalidade prevista com a tal comissão é clara: torpedear a Lei de Anistia, que abriu as portas para a volta dos exilados e firmou o início da abertura democrática. 
Falemos, inicialmente, dos desacertos de 1964. A grande falha consistiu, a meu ver, no viés autoritário do regime militar, decorrente do fato de que os profissionais das armas não estão habilitados para a chefia do Estado, toda vez que são preparados - como lembrou com propriedade o saudoso amigo Paulo Mercadante (1923-2013) em Militares e Civis: a Ética e o Compromisso (Rio de Janeiro: Zahar, 1978) - para defender com coragem e eficiência os interesses soberanos da Nação, à luz da ética de convicção weberiana, que se caracteriza pela fidelidade aos princípios, sem que haja preocupação com o resultado da ação. Falta aos nossos homens de armas a sensibilidade da ética de responsabilidade, que exige que o governante calcule, nas decisões tomadas, as consequências que decorrerão para a comunidade, sendo esta, segundo Weber, a ética dos políticos. 
Em segundo lugar, anotaria mais este ponto: por formação, os militares estão preparados para gerir a unanimidade decorrente da hierarquia e da obediência do profissional das armas. Afinal, ninguém realiza assembleias no front, quando as balas silvam sobre a cabeça dos soldados. Eles cumprem as ordens dadas por seus comandantes, sem discussão. Ora, a política é o reino do dissenso, em decorrência da nossa natureza racional essencialmente dialética, condição já apontada por Aristóteles (384-322 a. C.) na sua Política. A organização da comunidade politicamente estruturada deve ser pensada como construção de consensos a partir do dissenso, não como eliminação pura e simples deste. Esse é o difícil trabalho dos homens públicos, que precisam armar-se de dose infinita de paciência a fim de conciliar os interesses dos seus representados, os cidadãos que votaram neles. 
Anotemos sumariamente os aspectos positivos do regime de 1964: a intervenção militar evitou que os comunistas tomassem o poder, instaurando uma ditadura do proletariado, com o banho de sangue que isso provocaria num país de dimensões continentais como o Brasil. A opinião pública sabe que o que a extrema esquerda buscava era isso. O Brasil não teve a sua "República das Farc", com que se debate até os dias de hoje o governo colombiano, depois de meio século de guerra, graças à corajosa intervenção das Forças Armadas, notadamente do Exército, que aniquilou a possibilidade de um território controlado pelos terroristas, sendo essa a finalidade perseguida pela guerrilha do Araguaia. 
No que tange à economia, o Brasil transformou-se num país industrializado. Consolidou-se a indústria petroleira e desenvolveu-se a petroquímica, bem como a siderurgia e a fabricação de maquinaria pesada. A engenharia deu um grande salto para a frente, com as obras públicas que pipocaram pelos quatro cantos do território nacional. 
Acelerou-se, por outro lado, a indústria bélica - em que pese o fato da falta de continuidade de uma política para o setor, como tem sido analisado oportunamente por Expedito Bastos, do Centro de Pesquisas Estratégicas da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Efetivou-se, com o fantástico desenvolvimento das telecomunicações e com a política de abertura de estradas, a denominada - por Oliveira Vianna (1883-1951) - "circulação nacional", unindo ao centro nevrálgico do poder as regiões mais afastadas e ligando estas às mais importantes áreas metropolitanas do País. 
O regime militar tinha um propósito, em que pese o viés autoritário evidentemente criticável. Mas hoje, 30 anos após os governos militares, carecemos de um projeto estratégico que nos indique para onde irá o País nas próximas décadas. 
Este é o grande desafio: costurarmos uma proposta estratégica, no contexto da democracia que conquistamos, superando o vezo tutorial que empanou o regime de 1964. 
*Ricardo Vélez Rodríguez é membro do Centro de Pesquisas Estratégicas da UFJF e do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e professor emérito da Escola de Comando e Estado-maior do Exército (ECEME). E-mail: rive2001@gmail.com.

Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO: "O CASO PODE SER MAIOR DO QUE SE TEM FALADO"



Prezados leitores, o Promotor Roberto Senise continua  falando sobre a gravidade da situação, mas não se tem notícia sobre o início da investigação criminal.

"GLOBO ESPORTE 
BASTIDORES FC 
Terça-feira, 25/02/2014 às 17:02 
por Martín Fernandez
Portuguesa se concentra em ação da Justiça e descarta punições internas
Já não tira mais o sono de ninguém no Canindé a hipótese, levantada pelo Ministério Público de São Paulo, de que alguém dentro da Portuguesa teria recebido "vantagens indevidas" para escalar Héverton na última rodada do Campeonato Brasileiro. 
- Eu não conto com esse tipo de ilação. Acredito mais em incompetência generalizada - resumiu o vice jurídico do clube, Orlando Cordeiro de Barros. 
O presidente Ilídio Lico confirmou ao blog na tarde desta terça-feira que ninguém foi punido ou afastado ou demitido por causa do "caso Héverton" - o jogador estava suspenso, atuou contra o Grêmio na última rodada do Brasileiro, o STJD tirou quatro pontos da Lusa, que acabou rebaixada. 
- Isso o Ministério Público está investigando. Não me interessa. O que interessa é colocar a Portuguesa de volta no lugar que ganhou - afirmou Lico. 
O presidente voltou a afirmar que está tomada a decisão de entrar na Justiça Comum contra a CBF. Falta definir quem será o advogado que defenderá a Lusa no caso e onde o clube vai entrar com a ação. 
O promotor Roberto Senise Lisboa disse que "continua investigando" o caso e que não há previsão de prazo para a conclusão de seus trabalhos. 
- A investigação continua, o caso pode ser maior do que se tem falado - disse o promotor, sem dar mais detalhes (Fonte).

Juntos Somos Fortes!

O PULO DO GATO (01) - FLAMENGO, O REI DO TAPETÃO



Prezados leitores, ontem, o Flamengo venceu o fraco Emelec por três a um pela segunda rodada da Libertadores. Isso nos fez lembrar do ano de 1981, o mais glorioso no histórico do Flamengo, quando venceu a Libertadores e ganhou o jogo considerado como campeonato mundial entre clubes.
Trinta e três anos se passaram, milhões de rubro-negros não vivenciaram essas glórias, o que nos fez começar a série "O Pulo do Gato" com uma homenagem a esses torcedores.
Na Libertadores 1981 o Flamengo e o Atlético Mineiro terminaram empatados no seu grupo e foi necessário um jogo desempate para definir quem seguia em frente.
Observem como o regulamento era diferente, previa esse jogo desempate.
O jogo acabou zero a zero, mas foi ganho no tapetão pelo Flamengo por um a zero, o que permitiu que o rubro-negro avançasse.
Eis os melhores momentos daquele jogo memorável:





Os torcedores do Flamengo tem o hábito de dizer que o Fluminense é o rei do tapetão, mas precisaram dele para as suas maiores conquistas, não custa lembrar para que guardem essa verdade na lembrança.
Interessante ainda destacar que os rubro-negros não querem que o STJD cumpra o regulamento do Brasileirão 2013 tirando os pontos do Flamengo e da Portuguesa, mas querem que o regulamento seja cumprido para rebaixar o Fluminense no critério número de vitórias, pois no campo o Fluminense e o Criciúma conseguiram o mesmo número de pontos.
Prezados rubro-negros, não pode funcionar assim, o regulamento deve ser cumprido como um todo, não apenas a parte que interessar ao seu clube.
E, se dermos uma olhada na campanha do Flamengo na Libertadores 1981, eles tem que dar graças pelo fato de gol na casa do adversário não contar em dobro no regulamento da Libertadores 1981, pois se fosse isso o previsto, o Flamengo não ganharia a Libertadores (Link). 
O Flamengo ganhou em casa do Cobreloa por dois a um, mas perdeu fora de casa por um a zero, logo... 
Devem agradecer também não estar prevista a disputa de pênaltis, caso contrário teriam que decidir a vaga nos pênaltis na casa do Cobreloa.
Será que o Flamengo venceria a disputa?
Por sua vez, o Fluminense não deu essa sorte, não teve direito ao jogo de desempate em campo neutro, pois o regulamento não previa. Ele perdeu nos pênaltis para a LDU dinate de mais de oitenta mil tricolores.
Os rubro-negros precisam aprender com a própria experiência, antes de acusar os outros clubes. Além disso, precisam melhorar a memória...

Juntos Somos Fortes!

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

UM EXEMPLO DE COMO A IMPRENSA""PROTEGE" O TIME DA IMPRENSA



Prezados leitores, publicamos a seguir um artigo muito interessante sobre o Brasileirão 2013, mas antes que iniciem a a leitura solicitamos que verifiquem a classificação final do campeonato (Link). 
Nós separamos os seis últimos colocados:
15) Fluminense = 46
16) Flamengo = 45
17) Portuguesa = 44
18) Vasco = 44
19) Ponte Preta = 37 
20) Náutico = 20
Eis o artigo, achem o que (ou quem) está faltando:

"SITE IG
Esporte
STJ anuncia que irá decidir imbróglio entre Portuguesa, Fluminense e CBF 
Por iG São Paulo | 11/02/2014 18:14 - Atualizada às 11/02/2014 18:17 
Torcedor da Lusa quer que Tribunal reconheça tutela antecipada de sua ação e anule o julgamento do STJD que rebaixa time paulista para a Série B de 2014 
Futura Press
Héverton foi escalado de forma irregular na última rodada do Brasileirão 2013
O STJ (Superior Tribunal de Justiça) anunciou nesta terça-feira que irá analisar o caso envolvendo Portuguesa, Fluminense e o rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro de 2014. Segundo informou o Tribunal, um torcedor do time do Canindé pede que seja mantida a decisão da Justiça paulista de revogar as penas aplicadas pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva). Ele alega tutela antecipada para anular sentença favorável ao clube carioca. Desta forma, o Flu é quem cairia. 
O imbróglio começou com uma ação movida na 42ª Vara Cível Central de São Paulo contra a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) visando a anulação do julgamento feito pelo STJD. A entidade puniu a Portuguesa com perda de quatro pontos pela escalação irregular do meia Héverton na última rodada do Brasileirão do ano passado. A pena resultou em sua queda à segunda divisão. A ação foi distribuída em 9 de janeiro.
Já em 14 de janeiro, um processo distribuído para a 2ª Vara Cível da Barra da Tijuca foi movido para obrigar a CBF a cumprir o julgamento do STJD. Nessa ação, foi concedida tutela antecipada para tornar obrigatório esse cumprimento. Na mesma data, liminar similar foi concedida pelo Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos, também no Rio de Janeiro.
Há, portanto, um conflito de competências. Significa que a CBF não pode rebaixar Fluminense nem Portuguesa.
De acordo com o STJ, o torcedor da Lusa requer que seja concedida tutela antecipada no conflito de competência, para estabelecer a competência do juízo paulista para questões urgentes relativas ao caso e para suspender os efeitos das decisões do Rio. 
Ele aponta risco de grave lesão de difícil reparação, caso mantida a situação atual, já que a CBF teria antecipado do dia 20 de fevereiro para o dia 6 a divulgação da tabela do Campeonato Brasileiro de 2014, excluindo a Portuguesa da competição. 
O pedido será apreciado pelo ministro Sidnei Beneti. Depois, os ministros da Segunda Seção do STJ apreciarão o mérito do conflito, determinando se há efetivamente conflito entre as ações e, nesse caso, qual será o juízo a julgar os processos conexos (Fonte)".

Será mais um caso de "esquecimento" por parte da imprensa?

Juntos Somos Fortes!

UMA GOZAÇÃO CONTRA O FLUMINENSE COM DOIS ERROS GROSSEIROS



Prezados leitores, nós recebemos através de um comentário o seguinte link para a imagem que abre esse artigo: 


Em termos de gozação ela até é engraçada, mas existem nela dois erros grosseiros:
1) Não é o Fluminense que tem como patrocinador um órgão governamental, portanto, a correlação com o SUS é incorreta.
2) Não existe Série B para o Fluminense pagar. Quem estiver interessado em obter a necessária fundamentação sobre o tema que pesquise por conta própria ou leia o livro "Pagar o quê?", no qual o tema é exaustivamente explicado.
O endereço indica que a imagem pertence ao site Globo Esporte, mas nós não fomos competentes o suficiente para localizar a que artigo ela está vinculada.
Alguém sabe informar se ela está ligada a um artigo?
Antecipadamente agradecemos.

Juntos Somos Fortes!
PS - Através de comentários recebemos o link do artigo que solicitamos:
http://globoesporte.globo.com/platb/meiodecampo/2013/12/08/pague-a-serie-b-rivais-brincam-com-rebaixamento-do-fluminense/

POLICIAIS MILITARES - REPORTAGEM SOBRE O ATRASO NO PROEIS E NO RAS



Prezados leitores, recebemos o comentário que transcrevemos a seguir sobre a realização de uma reportagem sobre o atraso no pagamento do RAS e do PROEIS.

COMENTÁRIO:
"Maria Luisa de Melo 
26 de fevereiro de 2014 15:35 
Amigos, conhecidos, colegas! 
Estou em busca de Praças que não tenham recebido Proeis ou o RAS ou que estejam recebendo as gratificações com atraso. É para uma pauta do UOL Notícias (noticias.uol.com.br). Por favor, entrem em contato pelo (21) 98535- 4622 ou me passem os contatos por e-mail (maria.pereira555@gmail.com) que eu telefono. Abs".

Lembramos que Oficiais também estão sofrendo com esse atraso.

Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASIILEIRÃO: FLAMENGO, O "PULO DO GATO"



Prezados leitores, enquanto aguardamos os resultados das investigações do Ministério Público e da Polícia, publicaremos alguns artigos sobre o histórico do Clube de Regatas do Flamengo, uma viagem ao passado trazendo de volta fatos que a maioria dos rubro-negros nascidos após a década de 80 não conhece.
Na verdade será um serviço de utilidade pública para a "Nação".
Como sempre fazemos, o blog estará aberto para postagens de artigos que apoiem ou contrariem as opiniões publicadas por nós.

Juntos Somos Fortes!

POLICIAIS MILIlTARES - ATRASO - RAS e PROEIS



Prezados leitores, os Policiais Militares continuam sem receber o pagamento dos serviços extras remunerados (RAS e PROEIS), conforme o contido nos comentários que estamos recebendo.

Juntos Somos Fortes!

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO 2013 E O ESCÂNDALO DAS PAPELETAS AMARELAS


Prezados leitores, o escândalo do Brasileirão 2013 é conhecido de todos, mas o escândalo das papeletas amarelas é antigo e muitos desconhecem. No intuito de nivelar o conhecimento e permitir uma melhor avaliação dos fatos, transcrevemos um artigo sobre aquele escândalo famoso.

"SITE APITO NACIONAL 
Escândalo das Papeletas amarelas 
300 mil cruzados (moeda da época) foram parar na conta de um dirigente do Flamengo. Alegação era de que o dinheiro iria ser usado em operações para facilitar o título carioca do Rubro-Negro naquele ano. 
13/10/1986 - O escândalo das Papeletas Amarelas em poucas palavras ocorreu devido a um conflito político interno no Clube de Regatas do Flamengo que fez ficar evidente na época que o clube destinava parte de suas receitas para a compra de árbitros e adversários. As provas (notas fiscais* de cor amarela - daí o nome do episódio) da picaretagem surgiram nesse ano, mas o esquema em si ninguém sabe quando começou. 
O escândalo ocorreu durante a administração do presidente George Helal com valores que pode ter chegado a 4 milhões de cruzados - quantia igual gasta na época pela equipe rubro negro pelo atacante Kita. Apos as denuncias, o conselho deliberativo do clube queria saber onde tinham sido gastos os 300,00 mil cruzados depositados na conta do vice presidente de esportes amadores, Leo Rabelo. 
Duas versões surgiram na época: a do vice presidente Leo Rabelo que garantiu que o dinheiro fora usado para pagamentos a atletas amadores e profissional, mas não apresentou recibo provando o que dissera em sua defesa. Helal, que numa reunião com dirigentes do Flamengo reafirmou que o dinheiro fora entregue ao diretor de árbitros da Federação, Paulo Antunes, resolveu dar um ponto final ao caso: "Os 300,00 mil cruzados foram distribuídos como doping positivo para incentivar os clubes pequenos contra nossos rivais". Foi uma saída esperto do dirigente. Como subornador de árbitros, Helal seria incurso no artigo 288 no Código Brasileiro Disciplinar de Futebol e estaria eliminado do esporte. Como aplicador de "doping positivo", passaria para o 289 e sua pena seria de 90 a 360 dias (Leiam mais)".

Juntos Somos Fortes!

O ESCÂNDALO DO BRASILEIRÃO: ESPN NOTICIA QUE "PARA FLA, RELAÇÃO ENTRE CBF E FLU É TRATO ENTRE AMIGOS"



Prezados leitores, transcrevemos a seguir uma matéria publicada pela ESPN:

"ESPN
25/02/201414h10
FUTEBOL NACIONAL
Para Fla, relação entre CBF e Flu é 'trato entre amigos'
Por Gabriela Moreira, do Rio de Janeiro (RJ), para o ESPN.com.br
Os conflitos do futebol brasileiro expostos internacionalmente.
Um e-mail enviado pelo diretor jurídico da CBF, Carlos Eugênio Lopes, para advogados do Fluminense teria revelado a relação de proximidade entre a entidade que manda no futebol do Brasil e o clube tricolor. É o que denuncia o Flamengo em oito páginas de um documento enviado à Corte Arbitral do Esporte, na Suíça.
Na mensagem eletrônica, do dia 31 de janeiro, o dirigente encaminhou o recurso do time rubro-negro a dois advogados do arquirrival das Laranjeiras, aos quais chama de "amigos". Carlô, como é conhecido, havia acabado de receber o documento do tribunal em sua conta de e-mail pessoal.
Na representação do Flamengo, o clube é veemente. Diz que o fato de a CBF ter enviado o e-mail ao Fluminense mostra o favorecimento da entidade ao time tricolor. O texto, em inglês, acusa a CBF de falta de respeito com os demais clubes brasileiros. Diz, também, que a instituição rubro-negra ficou atônita ao saber da troca de e-mails.
(...)
Advogado do Fluminense, Mário Bittencourt afirma que foi o Fluminense que pediu para a CBF enviar o e-mail com o recurso do Flamengo. E que esta foi a forma encontrada para tomar ciência formal do processo e poder fazer o pedido para participar do processo. 
Bittencourt vê a relação como normal e diz que as acusações do Flamengo têm o objetivo de tirar o foco da escalação irregular de André Santos. A Portuguesa confirmou que não foi procurada pela CBF nem recebeu e-mail do diretor jurídico com o recurso do Flamengo e que considera o ato uma forma de favorecimento ao Fluminense. 
Carlos Eugênio Lopes e a CBF foram procurados, mas não retornaram ao pedido da reportagem. A Corte Arbitral do Esporte ainda não respondeu se aceita o pedido do Fluminense para participar do processo. Veja abaixo a resposta de Mário Bittencourt, advogado do Flu 
"O documento citado e alardeado pelo Flamengo foi juntado por nós mesmos em nossa defesa, justamente para comprovar a data em que tomamos conhecimento do recurso apresentado por eles no CAS. Tomamos conhecimento pela imprensa de que o Flamengo estaria recorrendo ao CAS. Como sempre, de forma diligente, e no âmbito da Justiça Desportiva, consultamos a CBF sobre a existência real do referido recurso. Ao sermos informados que o recurso havia sido interposto, requisitamos o envio das razões para que pudéssemos ter ciência e entrar com nosso pedido de terceiro interessado. As razões então foram enviadas pelo Diretor Jurídico da CBF para o meu e-mail e para o e-mail do Daniel Cravo que é nosso advogado especialista no CAS e que reside no Rio Grande do Sul." 
"Aliás, este é o procedimento convencional, tendo em vista que até mesmo os recursos e as razões de terceiro interessado ao CAS devem ser enviadas por fax ou e-mail, ou seja, algo comum na Justiça Desportiva que talvez os novos advogados do Flamengo não conheçam bem em razão do pouco tempo na área." 
"O Flamengo deveria estar mais preocupado com as matérias jornalísticas que anexamos ao processo no CAS, comprovando a troca de e-mails interna deles onde admitem que escalaram o André Santos de forma irregular e foram salvos pelo erro da Portuguesa e mais, deviam estar preocupados com a juntada dos processos ajuizados na Justiça Comum onde comprovamos textualmente que os advogados envolvidos no ajuizamento da ações (como patronos ou torcedores) possuem relação direta ou indireta com o Flamengo. Um deles (autor de uma das ações), aliás, é sócio do escritório do Vice Presidente Jurídico do clube que agora assina o Recurso no CAS." 
"Com relação à Portuguesa, só ela pode dizer, até mesmo porque, pelo que acredito não estava interessada neste ambiente de discussão, já que buscou a Justiça Comum ao invés de permanecer no âmbito desportivo. Perderam o prazo pra ir ao CAS e não teriam, portanto, qualquer interesse no processo, até mesmo porque o Flamengo terminou na frente deles após as duas escalações irregulares e qualquer decisão diferente agora não alteraria a posição da Portuguesa." 
"Por fim, depois de mais de 15 anos de atuação na Justiça Desportiva, também permaneço atônito com a escalação de dois jogadores suspensos pelo Tribunal na mesma rodada, um no sábado e no outro no domingo, mas são raríssimas coincidências que acontecem. Não é verdade?"  (Leiam na íntegra).

Juntos Somos Fortes!

BANGU 1, COPA DO MUNDO E DITADURA DE TERNO E GRAVATA



Prezados leitores, os protestos que se desenvolveram pelo Brasil no ano passado e que estão voltando a ocorrer no presente ano serviram para evidenciar vários aspectos da realidade brasileira.
Uma parte da população externou nas ruas o seu inconformismo com os políticos brasileiros e com os rumos que eles tem dado ao Brasil, um país que parece rumar de forma inexorável para a cleptocracia. A falta de lideranças políticas confiáveis ficou tão evidente que o povo nas ruas impediu o acesso de políticos aos atos, assim como, a simples presença de militantes com bandeiras de partidos. Um recado direto: a política está podre. Isso é muito grave.
Apesar da mobilização de um segmento da população, milhões foram para as ruas, os protestos acabaram sendo praticamente inócuos e não representaram ganhos concretos para a população. A revogação dos aumentos nas tarifas dos transportes coletivos foi uma conquista de pouca relevância diante do esforço dispendido, aumentos que estão de volta em 2014. Se analisarmos com frieza, na verdade quem obteve uma vitória significativa foram os membros do Ministério Público com a não aprovação da PEC 37, isso é fato. 
Aos protestos faltou sobretudo organização. A ausência de lideranças legítimas transformou os atos justos de protestos em autênticas balbúrdias, as quais terminaram e terminam ainda invariavelmente em atos de violência e vandalismo. Não se pode prescindir de líderes, eles são indispensáveis para que exista um mínimo de organização, mas como não existiram (e não existem) lideranças políticas e nem lideranças brotaram do seio da população, os protestos ficaram acéfalos e não resultaram em quase nada.
Os protestos que estão ocorrendo em 2014 padecem do mesmo mal, não tem liderança, sem isso o fracasso é certo.
Além desses aspectos, ficou claro o despreparo governamental na gestão da segurança pública, isso nos níveis, federal, estaduais e municipais. Os governos não conseguiram garantir o direito de manifestação da população e não conseguiram impedir a violência e o vandalismo. Em apertada síntese, os governos fracassaram por completo e isso se deve em grande parte aos governos estaduais que não conseguiram fazer com que suas Secretarias de Segurança Pública (em alguns estados o nome é diferente, mas a missão é a mesma) gerissem adequadamente o controle das mobilizações populares. Erros primários saltaram aos olhos até dos observadores mais desatentos, um amadorismo que em alguns momentos pareceu doloso, como se interessasse aos governos que os protestos desandassem para a violência, pois isso afastaria o cidadão ordeiro das ruas, esvaziando os protestos, como efetivamente ocorreu.
Por seu lado, a cobertura da imprensa foi muito ruim, isso também em razão da falta de organização nos protestos, pois em quase todos a imprensa foi expulsa pelos manifestantes, sobretudo as emissoras ligadas às Organizações Globo que tiveram que se limitar a fazer a cobertura do alto de prédios ou com o uso de helicópteros, pois nas ruas não podiam ficar. 
Expulsar a imprensa foi um erro grosseiro, embora certamente não tenha ocorrido qualquer análise sobre isso, pois inexistia qualquer organização.
Sem a imprensa formal, cresceu a imprensa informal que fazia transmissões "ao vivo" diretamente do meio dos protestos. Câmeras e celulares pessoais viraram "armas" para fotografar e filmar os protestos, suprindo no primeiro momento a ausência da imprensa, mas logo essas "mídias" acabaram focando apenas nas ações de enfrentamento entre Policiais Militares e manifestantes. Sim, produziram vídeos que serviram para demonstrar o despreparo policial, assim como, a vontade prévia de alguns manifestantes de provocarem o enfrentamento com o aparato policial para gerar a violência e a desordem, isso foi muito importante. Todavia, muito mais relevante seria o uso dessas mídias para interagir com o povo ordeiro presente nos protestos e enaltecer esse lado dos manifestantes, o lado da população que sofre diariamente com esse país incapaz de retribuir o sacrífico que fazemos para pagar uma carga tributária gigantesca, sem recebermos um mínimo em termos de serviços públicos de boa qualidade. O homem comum, o chefe de família, o trabalhador assalariado, o usuário dos serviços públicos, esse deveria ter sido o foco dessas mídias. Hoje teríamos milhares de depoimentos do povo sobre a real situação do Brasil circulando pelas redes sociais, alcançando o mundo, mas elas acabaram se perdendo na exibição da violência e do vandalismo.
Diante desse emaranhado de erros, a Copa do Mundo se aproxima e enquanto meia dúzia se reúnem nas ruas gritando "não vai ter Copa", o governo prepara uma nova legislação para desestimular a participação nos protestos. Usando o argumento de que não existe legislação que permita reprimir adequadamente a violência e o vandalismo, o governo elabora uma legislação duríssima em termos de repressão (penas), tendo o claro objetivo de evitar que os protestos ocorram.
Quem vai protestar nas ruas correndo o risco de ser "enquadrado" na nova legislação se o próprio governo já demonstrou que não consegue evitar a violência e o vandalismo?
Quem vai para as ruas se o governo já demonstrou que é incapaz de identificar os vândalos e pode acusar qualquer um de ser um deles, bastando para isso estar no protesto?
Sim, vivemos uma ditadura de terno e gravata, isso é fato.
Querem cercear nossos direitos constitucionais, isso é fato.
Pior, eles conseguem.
A nova legislação do governo federal tem o mesmo objetivo que teve o governo Sérgio Cabral quando ILEGALMENTE prendeu e encarcerou na penitenciaria de segurança máxima conhecida como Bangu 1, o organizador desse blog, outros 9 Policiais Militares e 10 Bombeiros Militares: IMPLANTAR O TERROR!
Hoje, organizador desse blog tem a posse de um documento governamental que COMPROVA que o objetivo da prisão dos Bombeiros e Policiais Militares em Bangu 1 foi implantar o TERROR.
Pior, apesar de também estar de posse desse documento, o Ministério Público arquivou a representação sobre o fato. 
Lutamos para que o Conselho Superior do Ministério Público desarquive.
Portanto, prezados leitores, abram bem os olhos, as celas de Bangu 1 são desumanas, eles jogaram vocês lá, não tenham dúvida.

Juntos Somos Fortes!