BLOG DO CORONEL PAÚL

JORNALISMO INVESTIGATIVO E INDEPENDENTE.

LIVROS

Prezado leitor, caso esteja interessado em obter informações sobre os livros publicados pelo Coronel Paúl, encaminhe e-mail para pauloricardopaul@gmail.com

terça-feira, 31 de março de 2015

BRASILEIRÃO 2013: A VERDADE NÃO PODE SER ABAFADA


Prezados leitores, nós continuamos organizando o livro sobre o escândalo do Brasileirão 2013.
Caso não surja nenhum fato novo que mereça ser citado no livro, devemos cumprir o prazo de entregar o texto no dia 15 de abril na editora.
É importante que tudo seja esclarecido sobre os fatos ocorridos na última rodada.
O que não pode prevalecer é o silêncio.
A operação abafa não pode continuar para sempre.
O MP-SP já concluiu que ocorreu crime, ou seja, que alguém da Portuguesa obteve vantagem para escalar irregularmente Héverton.
Identificar quem recebeu e quem concedeu a vantagem é nosso objetivo.

Juntos Somos Fortes!

sábado, 28 de março de 2015

FARSA BURLESCA - GENERAL MARCO FELICIANO


Prezados leitores, transcrevemos o artigo "Farsa Burlesca" de Marco Feliciano: 

"FARSA BURLESCA 
A Instituição será maculada, violentada e conspurcada diante da leniência de todos aqueles que não pensam, não questionam, não se importam, não se manifestam” 
General Marco Antonio Felicio da Silva. 

Escudada por uma oposição débil e por um curral eleitoral de quase 40 milhões de votos, originário de demagógicas políticas assistencialistas, não passou de farsa burlesca a campanha eleitoral conduzida pelo PT para a reeleição de Dilma. Vendeu, por meio de marketing criminoso, apoiado por mentiras e meias verdades, ilusórias conquistas de seu primeiro mandato como a manutenção do pleno emprego e do poder de compra dos salários. Prometeu, para o mandato seguinte, o incremento do crescimento da economia e a consolidação das pretensas conquistas anteriores.
A verdade, entretanto, é que diante da crise financeira internacional, que se arrasta por vários anos, Dilma, irresponsável e criminosamente, desconsiderou os fortes e negativos impactos da mesma sobre a economia brasileira, aliás, anteriormente tratada por Lula, num dos seus delírios etílicos, extravasando a sua ignorância, como uma simples marola a atingir o Brasil.
Assim, enquanto a economia marchava para a estagnação, com as taxas de investimentos caindo, trimestres seguidos, a produção industrial diminuindo drasticamente, inflação persistente e aumento dos juros, o número de empregos gerados tornou-se, cada vez mais, abaixo do realmente necessário.
Adotando Política Econômica equivocada, incentivou o consumo, facilitando o crédito, criando programas populares e dando subsídios a determinados setores da economia, em detrimento de investimentos produtivos e desequilibrando as contas púbicas. A dívida pública total cresceu desmesuradamente e o déficit das contas públicas atingiu, em 2014, o valor de 17,2 bilhões de reais, parte, logicamente, gasta em prol da eleição da Presidente, provavelmente com desvio criminoso de verbas governamentais.
Um dos grandes perigos que o País corre é o crescimento insustentável da dívida pública que já alcança 63% do PIB quando, nos emergentes, a média é de 40% do PIB. Há que lembrar que o aumento de juros aumenta a dívida pública e pode neutralizar o esforço fiscal que venha a ser feito. A inflação, embora camuflada, há muito, pela contenção de certos preços, vem diminuindo o poder de compra dos salários.
O escândalo “Petrolão”, continuação do “Mensalão”, tem na Petrobras o seu foco desde quando Dilma era Presidente de seu Conselho de Administração e como tal, também, responsável pela compra fraudulenta de refinaria nos USA. Graça Foster, amiga de Dilma e casada com empresário prestador de serviços à Petrobras, por meio de contratos de valor aproximado de 600 milhões, alguns sem licitação, tornou-se Presidente da Empresa no governo Dilma, permitindo a continuidade da corrupção que já rasgava as entranhas da Empresa. Ela nada viu, nada ouviu, de nada sabe, repetindo o mantra de Lula e Dilma.
O Petrolão mostra as fortunas criminosamente desviadas para abastecer partidos e políticos que apoiam o PT e o governo e criar alguns milionários. Mostra a grave corrupção que grassa com a participação de “operadores” do PT e de partidos aliados. Por delação premiada, hoje, já se sabe que tal corrupção atinge, também, obras em outros setores governamentais, com os mesmos operadores atuantes na Petrobras, entre eles o acusado tesoureiro do PT e da campanha de Dilma, deputado João Vaccari. Como exemplo, a Revista Época (26 jan 2015) noticia como um empresário, com “nome sujo na praça e extensa ficha policial”, depois de se aproximar de Vaccari, conseguiu empréstimos no Banco do Nordeste (375 milhões e 452 milhões), este aparelhado pelo PT, incluso com apadrinhados pelo atual Ministro da Defesa. No auge da campanha de Dilma, após obter, também, a remoção das garantias inicialmente solicitadas pelo Banco, o empresário dou, para a campanha da Presidente, 17,5 milhões de reais ao lado de outras empresas como a Andrade Gutierrez(20 Bi), OAS( (20Bi), UTO Engenharia (7,5 Bi), também, envolvidas na corrupção do Petrolão.
A infraestrutura do País está deteriorada. A inépcia e incompetência como foi gerida a política energética, que teve Dilma como gestora durante governo Lula, deixou de cumprir o planejamento de construção de dezenas de hidrelétricas e de linhas de transmissão, gerando a crise de energia que vivemos no momento, agravada pela falta de chuvas e calor inclemente, em todas as regiões do País, com reservatórios próximos de secar e com recomposição, sabe Deus quando. A Petrobras está saqueada. Estradas, portos, ferrovias e aeroportos necessitam de manutenção e modernização urgentes. O serviços essenciais como o de Saúde, e Transportes, a Educação e Comunicações estão muito aquém das necessidades. A Segurança Pública é geradora de grande insegurança na população. O sistema prisional é medieval.
Vencida a eleição, parece que a Presidente opta por Política Econômica contrária ao que defendeu, demagógica e mentirosamente, em sua propaganda eleitoral. Dá ênfase a uma dura Política Fiscal que atinge, proporcionalmente, com mais vigor o Ministério da Defesa, mostrando, por parte do Ministro Nelson Barbosa, a mesma insensibilidade que sempre teve para com as necessidades das Forças Armadas. Os objetivos principais da END (Estratégia Nacional de Defesa) serão duramente atingidos bem com a base industrial que está sendo criada. O Ministério de Ciência e Tecnologia também foi atingido. Há que ressaltar que o País necessita desesperadamente de empreendedorismo e de inovações tecnológicas. A cegueira está em não enxergar que a Industria de Defesa e os programas do MCT de incentivo à inovação são as ferramentas mais importantes de que dispomos para tal e ficarão a míngua de recursos.
Realismo tarifário nas contas de luz e nos combustíveis, novo cálculo do salário mínimo e modificações em benefícios sociais já estão em andamento, confirmando, com as restrições orçamentárias em vigor, a fraude eleitoral cometida por Dilma em sua campanha.
Vejamos as surpresas que virão da “Operação Lava-Jato” e, talvez, tenhamos uma oposição mais corajosa para as providências constitucionais que se façam necessárias em relação ao governo atual e à Presidente, responsável por uma campanha eleitoral que não passou de uma criminosa farsa burlesca.
General Marcos Feliciano" 

 Juntos Somos Fortes!

sexta-feira, 27 de março de 2015

BRASILEIRÃO 2013: AS PROVAS DO FAVORECIMENTO AO FLAMENGO

Prezados leitores, um amigo rubro-negro perguntou-nos se no livro constarão provas sobre o favorecimento ao Flamengo, evitando seu rebaixamento.
Nós respondemos:
- É claro!
Não faria sentido escrever um livro sem provas desse favorecimento. 



Juntos Somos Fortes!

segunda-feira, 23 de março de 2015

O RIO DE JANEIRO É INSEGURO, EIS A VERDADE...



Prezados leitores, cada um que se defenda, o Rio de Janeiro se transformou em um local extremamente inseguro.

"Jornal O Globo
Equipe de cinema é assaltada no Aterro do Flamengo durante filmagem
Ladrão em bicicleta rouba dez pessoas que faziam documentário sobre a ativista Yvonne Bezerra de Mello 
POR PATRICIA ESPINOZA 
22/03/2015 15:51 / ATUALIZADO 22/03/2015 21:48 
RIO — Durante a filmagem de um documentário sobre a ativista carioca Yvonne Bezerra de Mello, que há anos desenvolve trabalhos sociais com crianças e adolescentes na favela da Maré, a equipe de cinema responsável pela produção foi assaltada no Aterro do Flamengo. De acordo com as vítimas, era apenas um assaltante de bicicleta e armado com pistola (Fonte)."

Juntos Somos Fortes!


domingo, 22 de março de 2015

LIVRO SOBRE O FLAMENGO TER SIDO SALVO DO REBAIXAMENTO EM 2013 - OS LINKS FORAM TROCADOS?


Prezados leitores, ontem, publicamos artigo onde informamos que um link de uma matéria do jornal O Globo (imagem), pertinente ao tema do livro que estamos organizando, não direcionava mais para a matéria (Leiam).
Nós recebemos alguns comentários e selecionamos três:

1) Eduardo

21 de março de 2015 16:27 
Belo deboche, meu caro Coronel! Todos nós sabemos o que aconteceu. O artigo foi apagado e, ao acessar a página, somos redirecionados, automaticamente, a uma notícia recente. Hoje em dia muitos sites fazem isso, em vez de apresentar aquela clássica mensagem de erro. Isso me fez lembrar daquela sua bela frase, Coronel, de que as notícias de Internet não embrulham o peixe no dia seguinte. Pois é, aparentemente isso não se aplica não no caso do CR Flamengo. Mas eu devo estar ficando louco ao acreditar nas conspirações sugeridas pelo senhor, não é mesmo. Agora, de fato (deixe-me apresentar um outro lado), alguns sites apagam notícias com mais de um ano de duração. O que não deveria ser o caso de O Globo, já que eu tenho encontrado notícias de até dez anos atrás. Eu sei que assinantes desse jornal podem acessar um banco de dados virtual. Certamente, algum colaborador poderá lhe ajudar nesse sentido. Um abraço.

2) Alexandre, The Great
21 de março de 2015 20:27
Os links foram direcionados para a matéria de veículos. O programador faz isso alterando o código-fonte. É algo premeditado, não é casual. Não é o seu computador que está maluco, vivemos num país surreal onde 2 réus de homicídio que matam um cinegrafista com um corpo e provas gravadas são soltos e policiais são mantidos presos pelo "homicídio do Amarildo" sem provas e sem um corpo. O seu computador é um item de tecnologia, não fica "maluco". O governo comunista é que tenta nos enlouquecer, isso sim!

3)  Anônimo
22 de março de 2015 02:02
É simples, o link está errado, o que comanda o link é o número no final da notícia o que está escrito entre o http://oglobo.globo.com/ e o número 10999145 pode ser qualquer coisa por exemplo http://oglobo.globo.com/politica/cabral-o-melhor-governador-da-historia-do-brasil-10999145 não importa, vai para a mesma notícia, essa notícia com o número 10999145 é a notícia da Fenabrave, acho que essa imagem que te passaram é falsa.

Qual a opinião de vocês?

Aproveitamos para informar que a previsão para a entrega do texto na gráfica é a primeira quinzena de abril.
Quem tiver sugestões sobre o título e a capa, por favor, encaminhe para: pauloricardopaul@gmail.com
A ideia é lançar o livro ainda no primeiro semestre desse ano.

Juntos Somos Fortes!

sábado, 21 de março de 2015

SOCORRO! MISTÉRIO NO LIVRO SOBRE O FLAMENGO TER SIDO SALVO DO REBAIXAMENTO

Prezados leitores, somos forçados a pedir a colaboração de todos, diante dos nossos poucos conhecimentos sobre informática.
Nós estamos escrevendo o livro sobre o escândalo do Brasileirão 2013 e fomos surpreendidos por um fato que não temos como explicar no livro.
No momento que começamos a tratar das matérias sobre o fato de André Santos estar suspenso, surgiu algo inesperado.
Como pode ser visto na imagem a seguir, os jornais Extra e O Globo publicaram idêntica matéria sobre o fato:


No livro estamos citando os links das matérias para garantir a autenticidade.
O link da matéria do jornal O Globo é:

http://oglobo.globo.com/esportes/suspenso-andre-santos-nao-enfrenta-cruzeiro-pelo-brasileirao-10999145


Só que ao inserirmos esse link na barra de endereços ou clicarmos nele após pesquisa no Google, o link se altera automaticamente para: 



Conduzindo para a matéria: 
 “19h44 
REUTERS 
Venda de veículos novos no Brasil recua 7% em outubro, diz Fenabrave” 

O nosso computador está maluco? 
Alguém sabe explicar o que está ocorrendo? 
Muito obrigado! 

Juntos Somos Fortes!

A SITUAÇÃO DA PRESIDENTE DILMA SE COMPLICA A CADA DIA


Prezados leitores, a situação da Presidente Dilma está ficando insustentável.

"Revista Veja 
Blog do Reinaldo Azevedo 
19/03/2015 às 6:15 
Gravação comprova que objetivo do Mais Médicos sempre foi enviar dinheiro a Cuba 
Na VEJA.com: Uma gravação divulgada ontem pelo Jornal da Band comprova que há uma trama entre o Ministério da Saúde e a Organização Pan-americana de Saúde (Opas) para acobertar a intenção de favorecer a ditadura cubana por meio do Programa Mais Médicos. O áudio consiste numa conversa entre a coordenadora do programa pela Opas, a pernambucana Maria Alice Barbosa Fortunato, e funcionários do ministério. 
Maria Alice alerta: “Se a gente coloca ‘governo cubano’, se o nosso documento é público, qualquer pessoa vai entender que a gente está driblando a coisa de fazer acordo bilateral e pode dar uma detonada.” Ou seja, Maria Alice deixa claro que não quer que a sociedade brasileira saiba que o programa é, basicamente, um acordo entre Brasil e Cuba (acordo bilateral). Para esconder este fato e tirar o foco de Cuba, ela sugere que o governo inclua médicos de outros países, mas em números muito baixos. “A gente pode colocar neste T.A. (termo de ajuste) Mercosul e Unasul, que vai dar, digamos, dois milhões (de reais) para tirar o foco de Cuba e incluir países do Mercosul e Unasul”, diz a funcionária da Opas. 
A gravação também mostra que o Brasil lavou as mãos quanto ao confisco, pelo governo cubano, da maior parte do pagamento aos médicos. O assessor especial para assuntos internacionais do Ministério da Saúde, Alberto Kleiman, afirma na gravação que o valor dos salários e a forma de pagamento já haviam sido definidos pelo assessor internacional da Presidência, Marco Aurélio Garcia. “Sessenta (por cento) para o governo e 40 (por cento) para o médico. O Marco Aurélio (Garcia) botou isso na reunião, só para socializar”, afirma Kleiman. Maria Alice discorda: “A relação é do governo deles, eles que decidem. Não é a gente que vai interferir nisso”. 
Em outubro de 2013, VEJA revelou como a intermediação da Opas serviu para o governo brasileiro ocultar o verdadeiro objetivo do Programa Mais Médicos – arrumar uma maneira de enviar dinheiro a Cuba. Os registros do Ministério da Saúde permitiram descobrir que o chefe da representação da Opas no Brasil, o cubano Joaquim Molina, apresentou a minuta do contrato no dia 17 de dezembro de 2012, seis meses antes de o programa ser anunciado publicamente, em meio aos protestos de 2013. 
Por Reinaldo Azevedo (Fonte)".

Juntos Somos Fortes!

AS CORES DE MARÇO - SOCIÓLOGA MARIA LUCIA VICTOR BARBOSA


Prezados leitores, a seguir transcrevemos novo artigo da socióloga Maria Lucia Victor Barbosa. 

"AS CORES DE MARÇO 
Maria Lucia Victor Barbosa 
18/03/2015 
Nunca houve manifestação com a do dia 15 de março. Era como se um só corpo imenso ondulasse por todas as cidades e capitais, notadamente, em São Paulo. Não houve violência como o PT torceu para que houvesse. Não houve ódio como pregou insistentemente o governo. Não havia golpismo, pois pedir o impeachment de um governante é legal e legítimo. 
Quanto a crítica, segundo a qual toda aquela gente era composta por uma elite branca, pertencente à classe alta, adepta da direita e clamando por terceiro turno, mais parece uma alucinação ideológica ou uma distorção do fato na tentativa de desqualifica-lo. Elite branca? Então, estaríamos em outro país como a Dinamarca, Escandinávia, Suécia, mas não no Brasil. 
O que houve foi o povo enchendo as ruas para deixar claro que a propaganda tem limite, que a mentira tem limite, que a hipocrisia tem limite e que não se acredita mais em conversa fiada. 
Se existiu cor marcante entre os milhões de cidadãos essa foi verde-amarela. Quem ficou no vermelho foi o governo petista, que precisou chamar seus movimentos chapa branca para defendê-lo. No desfile chocho dos vermelhos muitos ganharam transporte e trinta reais para desfilar sem saber o porquê do ato. Um desses incautos ao ser perguntado sobre o que fazia ali titubeou, enrolou e depois de um grande esforço balbuciou: “nós viemos aqui para pedir que a Dilma saia”. Que ironia! 
Desse modo, o exército de Stédile convocado pelo marechal de campo do PT, Lula da Silva, não foi expressivo. O MST, depois do apelo do seu patrono ficou destruindo pesquisa científica, invadindo aqui e ali, mas não chegou a exercitar toda sua costumeira violência na passeata. A CUT bem que se esforçou com os carros de som, os manifestantes pagos, as bandeiras e balões, mas não foi exitosa. A UNE, outrora vanguarda estudantil e agora diluída em pequenos e radicais partidos de esquerda, e que também vive à custa do governo petista parece ter perdido a mística, apesar de ainda haver fundamentalistas baseados na fé entre suas fileiras. 
Contudo, o que explica a falta de entusiasmo dos vermelhos em contraste com os verde-amarelos é que os primeiros também eram contra os ajustes ficais e a perda de direitos trabalhistas, coisas ditas, é claro, de outro modo para disfarçar. E esse dado mostra a solidão da governanta hoje com 13% de aprovação segundo um instituto, 7% por outro. 
Existem também certas características que precisam ser ressaltadas nas manifestações de 15 de março com relação às críticas que o ato sofreu: 
1º - Os chamados “aspectos difusos” da manifestação não resistem à verdade de que o foco era nitidamente um só: a insatisfação popular. Foi essa insatisfação que gerou os brados de “fora Dilma”, “fora Lula”, “fora PT”. 
2º - Em pronunciamento a governanta disse que a corrução é uma “velha senhora”. Sem dúvida, todos sabem disso, porém, nunca um partido conviveu tanto com essa antiga conhecida. A Operação Lava jato continua trazendo à tona o maior escândalo já havido, no qual os roubos são em milhões, perfazendo bilhões. A Petrobras foi arrombada durante os governos petistas de Lula da Silva e Dilma Rousseff, sendo que esta foi ministra de Minas e Energia, ministra da Casa Civil, presidente do Conselho da Petrobrás e presidente da República. Não é difícil adivinhar a quem os cartazes das manifestações se referiam no tocante a corrupção. 
3º- Pela primeira vez apareceram cartazes com “fora Lula” e cantos debochados foram entoados contra o aquele que deixou a presidência com 80% de aprovação. Esse fato é que mais deve ter horrorizado o PT. Rousseff é descartável, mas sem Lula PT acaba. 
4º - Quando o povo gritou “fora Dilma”, não estava se referindo aos dois meses do mandato que ora se inicia, mas aos doze anos do PT no poder, especialmente aos quatro de Rousseff. Nesse tempo não só a Petrobras foi assaltada, como o Brasil foi arrebentado, dilapidado, saqueado. 
Finamente, os que estão usando o antiquado termo burguês são incapazes de entender que não há governo que aguente quando a economia vai mal. A tendência é piorar e dificilmente vão ter paciência os que sofrem as consequências da inflação, dos juros altos, de mais impostos, do desemprego que já mostra sua cara, da perda de direitos sociais, das altas da energia e dos combustíveis. 
O que deseja o governo petista? Que o povo pague por seus erros e que o PMDB e demais partidos assumam o desgaste político do arrocho que estão tentando empurrar goela abaixo dos brasileiros. Enquanto isso, Lula, Rousseff e demais companheiros continuariam na doce vida, prestigiando a velha senhora. 
Isto pode acontecer, mas será um governo morto-vivo, no qual uma presidente sem dignidade para renunciar vagará por seus palácios sem coragem de ir às ruas. Agora, as ruas são do povo. 
Maria Lucia Victor Barbosa é socióloga. 
mlucia@sercomtel.com.br 
www.maluvibar.blogspot.com.br 

Juntos Somos Fortes!

sexta-feira, 20 de março de 2015

PRESIDENTE DILMA SERÁ INVESTIGADA PELO TCU



Prezados leitores, a Presidente Dilma Rousseff será investigada.

"Site O Antagonista
Dilma será investigada pelo TCU 
Brasil 
18.03.15 19:10 
Está sendo mesmo um longo dia para Dilma Rousseff. Por iniciativa do ministro substituto André Luís de Carvalho, o Tribunal de Contas da União irá investigar a atuação do Conselho de Administração da Petrobras, e também do seu Conselho Fiscal, nas lambanças que dilapidaram o patrimônio da estatal. 
Como Dilma Rousseff foi presidente do Conselho de Administração de 2003 ao início de 2010, isso significa que os auditores do tribunal poderão esmiuçar tudo o que ela fez enquanto tal -- e pedir o bloqueio dos seus bens, por exemplo, se ficar comprovada a sua culpa em negócios estranhos, como a compra de refinaria de Pasadena. 
Dilma, sabe aqueles 150 mil em espécie que você guarda debaixo do colchão? Se tudo der certo, já eram. Eles servirão para ressarcir a União da gestão ruinosa na Petrobras."

Juntos Somos Fortes!

quinta-feira, 19 de março de 2015

BRASIL: SÓ AS FORÇAS ARMADAS RESOLVERÃO! VOCÊ CONCORDA?


Prezados leitores, a seguir transcrevemos comentário de um leitor assíduo do nosso blog:

"Alexandre, The Great
18 de março de 2015 11:40 
Meu Prezado Cel Paúl, farei aqui um comentário que certamente será censurado no Blog do Coronel e no RA. Trata-se de um assunto urticante, mas indispensável e relevante no atual momento político e social. Infelizmente, e digo isso com a maior sinceridade, não nos livraremos dessa quadrilha com 1, 2, nem 3 sequer com 10 milhões de pessoas nas ruas. Se manifestações de rua derrubassem governos bolivarianos a Venezuela não estaria como está hoje. Essa corja de bandidos só sai pela força, e tal só existe nas Forças Armadas. Somente militares detém, constitucionalmente, a prerrogativa do uso da força para garantia da República (o império das leis). O povo nas ruas NÃO DETÉM o monopólio do uso da força, as entidades representativas também não, os partidos políticos muito menos. Apenas as FFAA possuem esta prerrogativa. Há aqueles que pensam em golpismo, em trocar uma ditadura por outra, e bobagens desse tipo; contudo APENAS pela atuação das FFAA os comunistas serão extirpados do poder. Contudo, forçoso dizê-lo, com o avanço atual do bolivarianismo sobre o Brasil atrevo-me a dizer que não será de forma pacífica, tampouco breve. o restabelecimento do império das leis levará tempo e só ocorrerá com apoio amplo e irrestrito dos atuais 93% de insatisfeitos. 
Atenciosamente, 
Alexandre, The Great" 

Você concorda? 

Juntos Somos Fortes!

quarta-feira, 18 de março de 2015

A INVASÃO ALIENÍGEA - GENERAL BDA RFM VALMIR FONSECA AZEVEDO PEREIRA

Prezados leitores, fomos invadidos? 



"A INVASÃO ALIENÍGENA 
Em 15 de março de 2015, alienígenas invadiram o Brasil. 
Vieram clonados de nacionais, como marmanjos, moços, idosos, mulheres, senhoras, moças e de exemplares de varias espécies de nosso folclore. 
Especialistas em manifestações avaliam entre um a dois milhões de ETs. 
Pacíficos, os seres de outro planeta se limitaram a percorrer as principais ruas e avenidas de muitas cidades, na maioria das capitais, e em diversas cidades de menor porte. 
Foram facilmente identificados pelo populacho que assistia embasbacado a sua marcha, quase uma procissão. 
Em geral, trajavam indumentária verde ou amarela, ou verde e amarela. Muitos portavam placas e cartazes. 
Não carregavam armas, nem escudos, nem qualquer artefato bélico, por isso, ninguém teve a coragem ou a cretinice o suficiente para admoestá - los. 
As polícias evitaram os excessos, embora em alguns casos tenham se esforçado para arrefecer a sua caminhada e diminuir o seu efetivo que crescia a cada hora. 
Os transeuntes nativos olhavam boquiabertos a empáfia e a coragem dos invasores. 
Quem são eles? O que querem? Por que vieram de alhures, aparentemente, defendendo os direitos dos nacionais? 
Vieram de outra galáxia? Como o caos econômico e moral que se abate sobre o Brasil chegou tão longe? 
Estas entre inúmeras parecem ser as razões da invasão pacífica. 
Muitos indagam as razões de um contingente alienígena ter pousado na terra, em nosso País, para desafiar os cretinos que depravam e roubam todas as classes. 
Os religiosos alegam que devemos agradecer a mão de Deus. Outros, que os ETs acompanham deprimidos a derrocada do País, e resolveram interferir pacificamente, mostrando à população de que ela deverá ter coragem e determinação para expurgar seus inimigos. 
A invasão começou pela manhã, estendeu - se pela tarde, e só acabou ao anoitecer, e depois, da mesma forma silenciosa como eles chegaram, se foram. 
O desgoverno, assustado, determinou os pronunciamentos de dois arrogantes ministros (que procuraram minimizar as manifestações, sob alegação mentirosa de que delas participaram APENAS os que não votaram na presidanta), na tentativa de arrefecer a indignação dos ETs, para evitar que o populacho impregnado pelo exemplo estrangeiro prosseguisse a marcha, e até empregasse o uso da força, se necessário. 
Hoje, uma tremenda dúvida invadiu a mente da sociedade brasileira: os alienígenas são confiáveis? Sua marcha foi uma demonstração de que a coragem, a vontade de expulsar presidentes, ladrões, canalhas e terroristas pode e deve ser realizada quando for necessário? 
Tudo indica e são muitos os sinais de que ainda existe pelo menos uma molécula de moral na alma do povo, e que somadas às indignações populares, elas se tornam imbatíveis e capazes de alimentar a chama da justiça e o fervor da cidadania. 
O desgoverno está preocupado, temeroso que a ação alienígena tenha plantado no coração da massa nativa o poder da revolta, a coragem do desafio e a garra para dar um fim no caos e na imoralidade. 
O desgoverno, infelizmente, continua o mesmo e deverá adotar medidas paliativas para manter - se no poder, nada de relevante, pois prosseguirá onerando a população com pesados impostos e, efetivamente, nada fará que possa afastá - la do domínio total. 
Os entendidos eque alguns alienígenas não retornaram para as suas origens e que pretendem num futuro próximo desencadear uma nova marcha, menos pacífica, e forte o suficiente para empregar a força das armas, até atacando e vencendo o exército do Stédile. 
Alguns nacionais tentam entrar em contato com os ETs na busca de orientações, e quiçá participar dos planejamentos e ações futuras. 
Vamos aguardar. 
Brasília, DF 16 de março de 2015 
Gen. Bda Rfm Valmir Fonseca Azevedo Pereira"

Juntos Somos Fortes!

terça-feira, 17 de março de 2015

IMPEACHMENT OU INTERVENÇÃO MILITAR? - ADVOGADO E SOCIÓLOGO SÉRGIO A. DE OLIVEIRA

Prezados leitores, a seguir transcrevemos artigo publicado no site "Alerta Total":


Suponho até tratar-se de uma maldição divina. Os brasileiros nunca mostraram capacidade inventiva para modelos políticossocioeconômicos próprios. “Colaram” e adaptaram alguns que já foram experimentados no mundo. Mas internamente nenhum deu certo. O capitalismo fracassou. As alternativas socialistas “adaptadas” que andam por aí não trazem nenhuma esperança. Elas mais têm servido para o assalto de quadrilheiros aos cofres públicos. 
Por seu turno, a democracia foi um desastre. Ela usa e conduz o povo como massa de manobra para satisfazer os interesses exclusivos dos políticos - de uma ou outra maneira servis aos interesses maiores da classe dominante - usando enganadores discursos pró-povo - do qual recebe os mandatos egressos das urnas eleitorais. 
Mas num ponto ninguém bate o brasileiro. Ele é um mestre na capacidade de montar páginas e mais páginas de belos escritos, sempre exaltando as grandes conquistas da humanidade e os melhores valores humanos, mas tudo como mero ornamento, sem consequências práticas. Assim são elaboradas as leis e as constituições, que submetem o povo às suas diretrizes. 
Agora,por exemplo, o povo sai às ruas, pedindo o afastamento da Presidenta Dilma Rousseff, por alegadas irregularidades cometidas no seu governo. Uns querem o IMPEACHMENT, atribuição do Congresso; outros a INTERVENÇÃO MILITAR, que seria de iniciativa do Poder Militar. As duas “torcidas” se encontraram nas mobilizações de rua de 15.03.2015, realizadas nas principais cidades do Brasil. A grande maioria foi pró-impeachment. 
Enquanto isso ocorre, as pessoas melhor politizadas têm plena consciência que o “impeachment” seria mais um “faz-de-conta”, dentre tantos outros, que já mobilizaram a sociedade inteira. O melhor e mais recente exemplo concreto está no “impedimento” do Presidente Collor em 1992, protagonizado pelo Congresso “acatando” os reclamos das ruas. No que resultou de positivo esse afastamento, pergunta-se? 
O “clima” de 2015 está quase igual ao de 1992. As eventuais resistências do Congresso para afastar Dilma devem ter sido totalmente afastadas pelos fatos mais recentes, como os de hoje. Com certeza aí estaria agindo uma lei da natureza: a luta pela sobrevivência. Significa dizer: “cai a Dilma ou caímos todos juntos”. Em palavras outras: ”nosso dilema está em ficarmos heróis ou algozes”. A esta altura dos acontecimentos poderiam até afirmar: ou “matamos”(politicamente, é claro) a Dilma, ou os militares acabam “matando” a todos nós. 
O Congresso, por conseguinte, está acuado. Provavelmente optará pelo impeachment da Presidenta. É uma questão de foro íntimo e “legítima defesa” dele, Congresso. 
Ocorre, Senhoras e Senhores, que o Congresso é tão ou mais merecedor de um impeachment que a Presidenta. Mas os “constituintes” que redigiram a Carta de 1988 foram cautelosos e espertos. Não abriram a hipótese de “demissão coletiva” da Câmara, Senado, ou Congresso inteiro, ou seja, da sobrevivência política ou jurídica dos membros do próprio Poder. Fizeram a lei para os “outros”, não se lhe aplicando a si próprios. 
Mas o PODER MILITAR teria competência para mudar tudo isso. A situação vigente é muito diferente daquela que gerou 64. Para os que entendem não ter havido legitimidade constitucional para o acontecimento, a mobilização de 31 de março daquele ano, que destituiu Jango, é considerada GOLPE; para os que pensam o contrário, ou seja, que o movimento político-militar simplesmente agiu para evitar um outro golpe em gestação, seria então um CONTRAGOLPE. 
Com fundamento no artigo 142 da Constituição vigente, como já ponderei nos artigos “AS FORÇAS ARMADAS PODEM INTERVIR?” e “RUPTURA CONSTITUCIONAL, DRA.DILMA?”, as Forças Armadas poderiam INTERVIR, com muito mais liberdade e condições de fazer as mudanças requeridas para colocar o Brasil nos trilhos da decência. Claro que seria uma ruptura constitucional. Mas ela estaria legitimada por valores superiores. Uma nova ordem constitucional teria que ser estabelecida, a exemplo do que antes já foi feito em 1891, 1934/37, 1946, 1967/69 e 1988. Ressalte-se que todas essas constituições eram “pétreas” (???). 
Mas o cruel mesmo é supor que entre duas ou mais alternativas democráticas submetidas à decisão do povo, ele sempre opta pelo pior caminho. Isso certamente é produto da democracia viciada que lhe empurraram goela-abaixo. É produto, portanto,da OCLOCRACIA, que tem a aparência e a forma da democracia, mas não é. 
Os protestos de hoje deram armas ao Congresso para iniciar e concluir o impedimento de Dilma Rousseff. Com essa atitude, que não teria nenhum problema, e que só dependeria da vontade política, da interpretação e dos interesses dos parlamentares, as rédeas políticas do país seriam totalmente entregues a esse poder contaminado com idênticos vícios do Poder Executivo, cujas irregularidades levaram ao processo de impedimento. O Poder Legislativo não teria nenhuma legitimidade moral para fazê-lo, portanto. 
O melhor exemplo que se poderia dar à alternativa do “impeachment” é uma cirurgia localizada para extirpar um tumor maligno num corpo onde o câncer já está espalhado. 
Mas há que se reconhecer, que apesar da INTEVENÇÃO MILITAR CONSTITUCIONAL apresentar muito mais chances de facilitar uma mudança de rumo em direção à decência política, sem dúvida a resistência da opinião pública é grande. De fato os militares não fizeram governos perfeitos durante esse período (1964 a 1985 ). Mas o Brasil teve um bom avanço e muito progresso. As maiores hidrelétricas ainda hoje em operação foram dessa época. A desonestidade na vida pública era pontual. Hoje é generalizada. Nenhum dos cinco presidentes militares enriqueceu, ao contrário de um certo ex-presidente civil egresso do meio sindical que anda dando as cartas por aí. 
Os militares ainda tiveram uma “forcinha” dos seus sucessores, após 2003. Os novos governantes conseguiram transmitir através dos currículos escolares e de todos os meios de comunicação, a ideia que os militares eram “bandidos” e assim deveriam ser tratados. Chegaram ao auge com as tais “comissões da verdade”. 
Mas a grande “cagada”do Poder Militar foi a de não ter conseguido politizar o povo brasileiro, mesmo assim entregando o poder à pior escória da sociedade. As “coisas” pioraram. E muito. A corrupção foi levada a exorbitantes níveis jamais conhecidos no mundo. Os “avanços sociais” patrocinados pelos governos do PT ,se resumem na mais barata forma de “assistencialismo”, que não promove nem liberta ninguém. Esse método só causa escravidão e dependência. 
Interessante é observar que um dos principais “guias” das propostas originais do PT foi o pedagogo Paulo Freire. Ninguém mais que ele combateu o assistencialismo. Mas o PT não entendeu as lições do mestre e adotou na plenitude exatamente o contrário que ele pregava. O assistencialismo não só é o principal programados governos do PT, mas também a certeza de que receberá os votos dos seus beneficiários, ou seja,é o principal combustível do seu poder. Aí está o império do comércio do voto, que nada tem a ver coma democracia. 
Hoje, com certeza, o impeachment de Dilma passou a ser uma receita perfeitamente tolerada pelo Sistema, apesar de todos os favores governamentais que recebeu. Mas assim iriam ser trocadas só as moscas, como se diz por aí. Para ele, Sistema, não vai fazer nenhuma diferença. Ele vai continuar mandando e o novo governo continuará obedecendo. 
Pelo exposto, sem dúvida a INTERVENÇÃO MILITAR seria o melhor caminho. Mas pelo que foi antes apontado, suas chances de prosperar são pequenas, como tudo que é bom na democracia pervertida praticada por aqui. Essa seria uma alternativa muito melhor que o impeachment, uma vez que o Poder Militar é o único que tem a força e a moral necessárias para virar a mesa desse joguinho, que só vai enganar durante mais 5 ou 10 anos. 
Mas 64 teria que ser olhado com muita reserva. Agora o Poder Militar teria que agir com a consciência de não se “adonar “ do poder, como antes fez. A intervenção teria que ser fulminante, rápida e precisa, tão só para o fim de estabelecer-se uma nova ordem constitucional, como também, tão logo que possível, fazer-se novas eleições, com outras regras. 
Sérgio Alves de Oliveira é Sociólogo e Advogado". 

Juntos Somos Fortes!

domingo, 15 de março de 2015

RIO - O ATO CONTRA O GOVERNO DILMA É EM COPACABANA


Prezados leitores, no Rio de Janeiro o ato de protesto contra o governo Dilma Rousseff será realizado na praia de Copacabana, posto 5, a partir das 09:30 horas.
Alguns estão divulgando um segundo ato na Candelária, às 14:00 horas.
Eu não recomendo o comparecimento ao ato da Candelária, pois não faz qualquer sentido uma manifestação em um domingo no Centro do Rio de Janeiro, completamente vazio.
Além disso, por ser uma área com  inúmeros estabelecimentos bancários e comerciais, o ato pode ser direcionado por grupos para a desordem e o vandalismo, desvios que só interessam ao governo e não à população ordeira que pretende exercer a sua cidadania.

Juntos Somos Fortes!

sexta-feira, 13 de março de 2015

A VITÓRIA DOS "40 DA EVARISTO" SOBRE SÉRGIO CABRAL E PEZÃO


Prezados leitores, em 2007 um grupo de Policiais Militares e Bombeiros Militares, composto por Oficiais e Praças, deu início a mobilização por salários dignos e por adequadas condições de trabalho.
Destemidos e idealistas, eles sofreram represálias do governo Cabral-Pezão, represálias que se repetiram, cada vez com com maior amplitude, contra os Coronéis Barbonos (2008),  contra os Bombeiros Militares (2011) e contra os Policiais Militares e Bombeiros Militares (2012).
Hoje, Cabral e Pezão começaram a enfrentar as graves denúncias feitas contra eles.
O que podemos esperar em termos de responsabilização?
Sinceramente, muito pouco.
Não podemos nos iludir, pensando que as ações do Poder Judiciário e do Ministério Público irão produzir os efeitos que eles merecem.
Apesar dessa dura realidade, o fato de term sido desmoralizados publicamente constitui uma imensa vitória para todos nós que fomos para as ruas gritar:
- FORA CABRAL!

Juntos Somos Fortes!

quinta-feira, 12 de março de 2015

DIA 15 DE MARÇO DE 2015 - O POVO IRÁ PARA AS RUAS



Prezados leitores, o povo irá para as ruas no próximo domingo.
Os atos devem ser ordeiros e pacíficos.
Não devem ser aceitas as provocações dos infiltrados.
Devemos exercer nossa cidadania em ordem e em paz.
No Rio de Janeiro, o ato será na praia de Copacabana, às 09:30 horas, na altura do posto 5.

Juntos Somos Fortes!

quarta-feira, 11 de março de 2015

SITUAÇÃO DE SÉRGIO CABRAL E PEZÃO CADA VEZ MAIS COMPLICADA


Prezados leitores, Sérgio Cabral e Pezão se complicam cada vez mais.
E, nós, que lutamos contra esse governo desde 2007, ficamos na torcida para que a justiça seja feita.

"Revista Veja
Radar on-line
Lauro Jardim
11/03/2015 06:01:04
Outra delação que faz Cabral e Pezão tremerem
Além da delação de Paulo Roberto Costa, outros depoimentos da operação Lava-Jato estão tirando do sono Sérgio Cabral, Luiz Fernando Pezão & cia.
A delação premiada dos executivos da Camargo Correia pode trazer à tona novamente uma investigação da Polícia Federal envolvendo o governo do Rio de Janeiro.
O inquérito apura se a Opportrans, controladora da Metrô Rio até 2008, quitou dívida do governo do Rio junto à empreiteira para pagamento de propina.
Segundo anotações encontradas na sede da Camargo Correia em 2009, Wilson Carlos, braço-direito de Cabral, abocanhou 5% dos 40 milhões de reais negociados na transação.
Os procuradores da Lava-Jato jáse informaram sobre o caso na semana passada. Resta saber se Dalton Avancini e Eduardo Leite, presidente e vice-presidente da Camargo, vão abrir o bico".

Juntos Somos Fortes!

SEGURANÇA PÚBLICA É ALVO DE FRENTE PARLAMENTAR - SALESIO NUHS

AME/RJ - 2008

Prezados leitores, a (in)segurança pública é um dos principais problemas do Brasil.
O nosso modelo de sistema policial é único no mundo e inteiramente ineficiente.
Mudanças precisam ocorrer, mas temos que ficar atentos para não mudarmos para pior.
População e, especialmente, os profissionais da segurança pública devem estar atentos a cada movimento.

"Segurança Pública é alvo de Frente Parlamentar 
Salesio Nuhs 
Lançada recentemente, a Frente Parlamentar da Segurança Pública promete ter grande destaque na Câmara dos Deputados diante da atual composição parlamentar favorável ao debate sobre o tema, inclusive contanto com “campeões de votos” em cinco estados do país. 
Sua composição já tem a adesão de mais de 300 deputados federais de diversos partidos. O que demonstra que não somente a população anseia por mudanças nessa área como também um grande grupo de parlamentares. 
Com a recriação da frente, os assuntos relacionados à segurança pública terão maior visibilidade e, consequentemente, um encaminhamento mais assertivo. Assim, o Brasil cria uma expectativa de que seja feito algo além das campanhas de desarmamento, como política de segurança pública, e que assuntos como o controle de armas de fogo, a periodicidade da renovação dos registros e o excesso de burocracia para aquisição de armas, sejam corrigidos. 
Com toda certeza, haverá assuntos polêmicos e decisões acaloradas e acirradas, mas o principal objetivo do grupo de deputados é estabelecer o debate sobre o que está errado e buscar soluções, de forma que tenhamos uma legislação atual, de acordo com o que a população honesta brasileira necessita". 
Salesio Nuhs é presidente da Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições (Aniam). 

 Juntos Somos Fortes!

terça-feira, 10 de março de 2015

O XADREZ DO IMPEACHMENT - DENIS LERRER ROSENFIELD


Prezados leitores, no dia 15 de março de 2015, temos um encontro marcado nas ruas do Brasil.
Conheçam o quadro do possível impeachment. 

"O xadrez do impeachment
Denis Lerrer Rosenfield
O contexto político está cada vez pior no País, com reflexos que já atingem e atingirão ainda mais o cenário econômico e as medidas de austeridade fiscal. A recusa da MP da desoneração da folha salarial pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, é só uma de suas expressões. Outras certamente virão. A lista dos políticos envolvidos na Lava Jato, finalmente apresentada pelo procurador-geral da República ao Supremo, abre uma nova etapa de investigação e de acirramento dos ânimos.
Convém, preliminarmente, ressaltar alguns fatores imponderáveis, cuja presença ou não podem influenciar diretamente esse quadro. O primeiro deles diz respeito ao desdobramento das investigações da Lava Jato, que podem vir a implicar a presidente Dilma no desvio de recursos da Petrobrás. Não se trata, aqui, de se estabelecer uma questão de ordem criminal. Todas as informações disponíveis indicam ser ela uma pessoa honesta. O problema é outro e essencialmente político. Ela pode vir a ser investigada por responsabilidade nos desmandos da Petrobrás tanto por ação quanto por omissão. Da mesma maneira, podem os recursos desviados da Petrobrás ter sido usados para financiamento de sua campanha eleitoral, o que seria muito grave. O segundo fator imponderável são as manifestações de rua, como a prevista para dia 15, pedindo o impeachment da presidente e assumindo firme posição contra a corrupção instalada pelo PT no aparelho de Estado.
As consequências de um impeachment são, constitucionalmente, de dois tipos. Se o impeachment for individual, não atingindo sua chapa, o vice-presidente assume normalmente, completando seu mandato. Ao contrário do que vem sendo veiculado pelas redes sociais, não haveria nova eleição. Nova eleição só ocorre se houver vacância simultânea da presidente e do vice. A eleição seria direta se a vacância simultânea ocorrer nos dois primeiros anos do mandato e indireta se nos dois últimos anos.
Cenário 1: impeachment da presidente, responsabilizada individualmente. 
O início do processo, independentemente de chegar a seu término, já lançaria o País num processo de profunda instabilidade, pois a substituição de um presidente por impeachment é altamente traumático. O País ficaria em suspenso e medidas econômicas dificilmente seriam tomadas.
Algumas condições:
1) O PMDB seria o principal beneficiário, pois o vice-presidente, Michel Temer, assumiria. A governabilidade seria garantida sem nenhuma dificuldade, pois o vice goza de prestígio e é conhecido por suas posições moderadas e institucionais. Certamente o PMDB nada faria para segurar a presidente.
2) As oposições certamente terminariam aderindo a esse processo de impeachment, pois se não o fizessem ficariam em completa dissintonia com a sociedade.
3) O PT, por sua vez, seria contra o impeachment, que tornaria completamente inviável o seu projeto de poder.
4) Note-se que a nomeação de Aldemir Bendine para a presidência da Petrobrás pode ser vista como tendo o objetivo de blindar internamente a instituição de qualquer investigação séria, que poderia envolver a atual presidente, o seu antecessor e o PT.
Cenário 2: vacância simultânea. 
Neste caso haveria a vacância simultânea da presidente e do seu vice. Para isso seriam necessárias provas que envolvessem também o vice-presidente. A possibilidade de um cenário desse tipo residiria em ser provado que os recursos desviados da Petrobrás haviam sido utilizados no financiamento da campanha de 2014. Seria necessário, ainda, provar o envolvimento do vice-presidente no caixa da campanha, o que não é uma hipótese das mais prováveis.
Algumas condições:
1) Mesmo que fosse aberto um processo de impeachment que abarcasse tanto a presidente quanto o vice, seria muito difícil implementá-lo, dada a força do PMDB no Congresso Nacional. O mais provável seria o partido desvincular o vice da presidente, individualizando os processos, deixando a presidente à sua própria sorte.
2) Observe-se que seria de interesse do PT a vacância simultânea da presidente e do vice, com o partido, sob a liderança de Lula, partindo para uma eleição direta tendo o ex-presidente como candidato. Essa hipótese não desagradaria ao partido, que mesmo tendo o ônus do impeachment tentaria reabilitar-se eleitoralmente com Lula.
3) Eis a razão, como plano B, de Lula já ter-se lançado candidato a presidente. As urnas acabaram de ser contadas e já surgiu um candidato para 2018. Será mesmo para 2018? Acontece que não houve precipitação, mas um cálculo de que Dilma poderia não cumprir a totalidade de seu mandato. 
4) Tal cenário de vacância simultânea seria o pior para o País, pois os movimentos sociais estão sendo desde já mobilizados e instrumentalizados. Lula está adotando uma posição provocativa a respeito, apoiando explicitamente o MST e os sem-teto.
5) Em recente declaração incendiária, Lula afirmou que Stédile poderia pôr seu "exército" na rua. Isso significaria invasões no campo e na cidade, assim como obstrução de vias nas grandes cidades, tudo com a complacência do governo. Dilma não teria muito o que fazer, pois já renunciou ao controle desses movimentos sociais, que respondem a Lula e às alas mais radicais do PT.
6) Observe-se a estratégia extremamente arriscada adotada por Lula, podendo levar o País a uma crise institucional. Como muito bem se manifestou o Clube Militar, há somente um Exército, o brasileiro, o de Caxias.
7) Entretanto, esse cenário tem uma condição suplementar, a de Lula não estar envolvido nos escândalos da Lava Jato. Note-se que a maioria dos desmandos na Petrobrás se deu sob sua gestão presidencial, envolvendo pessoas próximas a ele.
A percepção correta dessas condicionantes se torna fundamental para que possamos entender a situação atual, que está muito mais para fino jogo de xadrez do que para futebol".

Juntos Somos Fortes!

PEZÃO ACUSADO DE APROPRIAÇÃO INDÉBITA

Prezados leitores, Pezão acusado de apropriação indébita. 

Pezão: a vida não está fácil para ninguém, muito menos para ele

"Revista Veja
Radar on-line
Lauro Jardim
sábado, 28 de fevereiro de 2015 8:49 
Economia 
Apropriação indébita 
Pezão: ampliando a base Pezão: a vida não está fácil para ninguém, muito menos para ele Desde dezembro, o Rio de Janeiro e Alagoas não repassam aos bancos o dinheiro que recolhem na folha de pagamento dos servidores que tomam empréstimos consignados. 
Luiz Fernando Pezão e Renan Filho entesouraram até agora 450 milhões de reais e 50 milhões de reais, respectivamente (Fonte)". 
Por Lauro Jardim".

Juntos Somos Fortes!

segunda-feira, 9 de março de 2015

COSTA DENUNCIA QUE AJUDOU NO CAIXA 2 DE SÉRGIO CABRAL E PEZÃO



Prezados leitores, o Rio de Janeiro se transformou em um "mar de lama". 

"Folha de São Paulo 
ELEIÇÕES DE 2010 
Costa diz que ajudou a criar caixa 2 na campanha de Cabral e Pezão
Em dezembro, quando o nome de Sergio Cabral foi citado na imprensa como relacionado ao caso Lava Jato, o ex-governador informou por meio de sua assessoria que repudia qualquer menção a seu nome em suposta lista
PUBLICADO EM 09/03/15 - 15h26
FOLHAPRESS
O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa disse que trabalhou para formar "caixa dois" para a campanha do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB-RJ) em 2010, segundo documentos em poder do STF (Supremo Tribunal Federal) nos autos da Operação Lava Jato.
A PGR (Procuradoria Geral da República) entregou ao ministro Teori Zavascki um resumo das declarações prestadas dentro do acordo de delação premiada por Costa e por outro delator da Lava Jato, o doleiro Alberto Youssef. No documento, a PGR informa que Costa descreveu todo o processo de arrecadação para um "caixa dois" de Cabral, que governou o Estado do Rio de 2007 a 2014. 
Costa contou aos investigadores que reuniu-se com Cabral, a quem conhecia desde 2007, no primeiro semestre de 2010 "para tratar de contribuições [ajuda] para a campanha" de reeleição de Cabral. Na mesma reunião, segundo Costa, estavam o atual governador, Luiz Fernando Pezão (PMDB-RJ) -que então era candidato a vice na mesma chapa de Cabral- e o secretário de Estado da Casa Civil, Regis Fichtner. 
Depois, Costa fez outra reunião, desta vez com empreiteiras que mantinham contratos com a Petrobras. 
"Paulo Roberto Costa fez contatos com empresas que atuavam na obra do Comperj e solicitou que elas fizessem doações para o 'caixa dois' da campanha de Sergio Cabral. Participaram da reunião representantes das empresas Skanska, Alusa e Techint. Do consórcio Compar (OAS, Odebrecht e UTC), ninguém participou da reunião, mas o consórcio foi o principal 'pagador'", afirmou o ex-diretor. 
Cada empresa, segundo Costa, deu "contribuição" no total de R$ 30 milhões. O Consórcio Compar pagou R$ 15 milhões, de acordo com o delator, e "o restante foi dividido entre as outras empresas, entre elas, Skanska, Alusa e UTC". 
Segundo o delator, "o dinheiro saiu do caixa das empresas e a operacionalização ocorreu entre Regis e as empresas, mas não sabe precisar detalhes de como isso ocorreu". 
Pezão, como ocupa o cargo de governador do Rio, deverá ser alvo de um inquérito específico no STJ (Superior Tribunal de Justiça), onde ele detém foro privilegiado. Ele tem negado irregularidades. 
Em dezembro, quando o nome de Sergio Cabral foi citado na imprensa como relacionado ao caso Lava Jato, o ex-governador informou por meio de sua assessoria que "repudia qualquer menção a seu nome em suposta lista ou fato relatado por Paulo Roberto Costa" (Link).

Juntos Somos Fortes!

RUMO À VENEZUELA - SOCIÓLOGA MARIA LUCIA VICTOR BARBOSA


Prezados leitores, transcrevemos mais um texto da socióloga Maria Lucia Victor Barbosa: 

"RUMO À VENEZUELA
28/02/2015 
A Venezuela está mergulhada no caos econômico e político depois dos sucessivos desgovernos de Hugo Chávez e do seu genérico, Nicolás Maduro. E quando a economia vai mal não há governo que resista, sendo inúteis a propaganda enganosa e a lábia populista que visa iludir o povo. 
Maduro, vendo o chão correr age como todo déspota apelando para a força bruta, as prisões arbitrárias, a tortura, a constante intimidação dos adversários, a perseguição à mídia e, recentemente, a autorizou o uso de armas letais contra manifestantes desarmados. 
Existe também o surrado recurso á teoria conspiratória, que se conjuga à vitimização forjada em documentações e gravações falsas. Desse modo, o falsário Maduro se apresenta como vítima de uma conspiração que objetiva um golpe de Estado. Em última instância, seu assassinato. Para tornar a pantomina mais real manda prender o prefeito metropolitano de Caracas, Antonio Ledzma, que acusa de envolvimento nos protestos antigoverno de 2014. E como não podia faltar o tiranete da Venezuela põe a culpa de tudo nos Estados Unidos. Só faltou culpar Fernando Henrique Cardoso. 
Recentemente a escalada de violência ceifou a vida de um jovem de 14 anos, morto com um tiro na cabeça quando participava de um protesto contra Maduro. Inventou-se, então, uma historinha segundo a qual manifestantes encapuzados tentaram rouba as motos de quatro oficias que dispararam e depois viram cair um corpo. De quem? Justamente do jovem “conspirador”. 
No seu relatório anual sobre o estado das liberdades no mundo, divulgado em 24 de fevereiro deste ano, a ONG Anistia Internacional, tão cara aos petistas, denunciou tortura e maus-tratos contra manifestantes e cidadãos venezuelanos. Indicou que pelo menos 43 pessoas morreram nos protestos de 2014 e 870 ficaram feridas. Houve violação dos Direitos Humanos e confrontos violentos entre manifestantes e forças de segurança, que contaram com apoio de grupos armados favoráveis ao governo. Ao menos 23 pessoas foram submetidas a torturas, espancamentos, ameaças de morte e violência sexual depois de serem presas pela Guarda Nacional e pelo Exército do Estado de Táchira. 
A Anistia Internacional afirma ainda em seu relatório que 150 pessoas morreram nas prisões venezuelanas no primeiro semestre do ano passado. Também o Observatório Venezuelano de Prisões denunciou que entre 1999 e 2014, 6.472 presos morreram nas masmorras do país. 
O que diz sobre isso o PT que se arvora em defensor de direitos humanos? Segundo nota afirma seu repúdio contra “quaisquer planos de golpe contra o governo de Nicolás Maduro.” “O Partido dos Trabalhadores tem acompanhado com atenção a situação politica venezuelana e expressa sua preocupação sobre fatos recentes que atentam contra a vontade popular”. “O povo venezuelano deixou clara a opção pelo aprofundamento das políticas sociais iniciadas no governo Hugo Chávez”. Assina a nota de apoio incondicional a Maduro, Rui Falcão, presidente nacional do PT. 
No evento em defesa da Petrobras (24/02/2015), na sede da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio de Janeiro, promovida pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e pela Federação Única dos Petroleiros (FUP), esteve presente Lula da Silva. Foi defender a Petrobras que demoliu, a democracia que despreza, os direitos humanos à lá Chávez. Num momento de arroubo vociferou: “Em vez de ficarmos chorando, vamos defender o que é nosso”. “Também sabemos brigar”. “Sobretudo quando o Stédile (chefe do MST) colocar o exército dele nas ruas”. 
Portanto, o presidente de fato, temendo perder seu projeto de poder transformou-se em agitador confundindo o Brasil com porta de fábrica. No ataque raivoso atentou contra o Estado Democrático de Direito, investiu contra a Constituição. 
Reza a Constituição, Art. 5º - XVII – “é plena a liberdade de associação para fins lícitos, vedada a de caráter paramilitar”. E no parágrafo XLIV, lê-se: “constitui crime inafiançável e imprescritível a ação de grupos armados, civis ou militares, contra a ordem constitucional e o Estado democrático”. 
O MST, com suas camisas e bandeira vermelhas, seus facões e enxadas a guisa de instrumentos de trabalho, sempre marchou unido como um grupo paramilitar. Seu histórico é de invasão de terras produtivas, destruição de gado, impedimento de funcionários das fazendas de ir e vir, ateamento de fogo às sedes, ameaça aos proprietários. Recorde-se que no ano passado Maduro enviou um de seus ministros ao Brasil para dar treinamento militar ao MST. 
Em nota o Clube militar afirmou que só existe um Exército, o Exército brasileiro, o Exército de Caxias. As demais instituições se calaram. Vale ainda lembrar, que enquanto o MST é recebido por autoridades, incluindo a presidente da República, o governo baixou seus punhos de aço contra os caminhoneiros por conta de uma greve que é justa. Estaremos indo rumo à Venezuela?" 
Maria Lucia Victor Barbosa é socióloga. 
mlucia@sercomtel.com.br 
www.maluvibar.blogspot.com.br

Juntos Somos Fortes!

domingo, 8 de março de 2015

O DIA INTERNACIONAL DAS MULHERES E O DIA 15 DE MARÇO DE 2015


Parabéns!
Prezados leitores, o Dia Internacional das Mulheres foi estabelecido como sendo o dia 8 de março, exatamente para simbolizar a luta das mulheres na busca dos seus direitos, uma mobilização que continua nos nossos dias, pois ainda existe uma gama enorme de violações dos direitos femininos.
Desejamos que continuem mobilizadas e que a cada dia ocorram novas conquistas.
A história ensina que lutas foram ganhas sem o disparo de um único tiro, outras se transformaram em guerras que duraram anos.
Os Policiais Militares e os Bombeiros Militares do Rio de Janeiro iniciaram uma luta pela conquista de direitos em 2007, uma luta ordeira e pacífica, que ainda terá que ser desenvolvida por longo tempo para que todos os objetivos sejam consolidados.
Ao longo dessa luta organizamos e/ou comparecemos a mais de cem atos públicos; divulgamos a luta pela internet (blogs, facebook e twitter) diuturnamente; escrevemos três livros e sofremos inúmeras represálias por parte do governo, inclusive duas prisões ilegais, a segunda com o requinte cruel de nos atirarem em uma solitária de Bangu 1.
Muitos Policiais Militares e Bombeiros Militares participam dessa mobilização histórica que supera sete anos, uns dando a cara para bater, como nós, outros apoiando nas redes sociais como anônimos para se defenderem da vingança governamental, o que nós entendemos, mas não concordamos.
Nós, Policiais Militares e Bombeiros Militares, devemos sempre ocupar as ruas como a nossa cidadania.
Infelizmente, temos sido poucos nos expondo diretamente, diante da grandeza dos ativos e inativos das duas corporações.
Juntos somos mais de 100.000.
A exceção foi a mobilização dos Bombeiros Militares em 2011 que chegou a reunir milhares, mas como um número muito reduzido de Oficiais BMs, mostrando a divisão do efetivo. 
Nós, nunca nos afastaremos da luta, pois isso faz parte da nossa natureza e da nossa condição de cidadãos, mas não podemos ser aqueles que sempre estão dando o murro na ponta da faca.
Outros devem fazer isso, todos e todas devem fazer isso: colocar a cara.
No tocante aos que nos criticam, apenas perdem seu tempo, pois só consideramos as críticas construtivas, as outras são inteiramente ignoradas, tanto que publicamos a maioria, o que demonstra como não nos incomodam, pois bastaria deletar os comentários.
Prezados leitores, o Brasil vive um momento histórico que sinaliza para grandes transformações, isso deve nos preocupar no momento, pois tudo está acontecendo com uma velocidade muito grande.
É hora de pensar sobre tudo o que está acontecendo.
É hora de ser cidadão e patriota.
Nós estaremos na praia de Copacabana, às 09:00 horas, no dia 15 de março, lutando ordeira e pacificamente por um Brasil melhor.
Convidamos a todos e a todas.

Juntos Somos Fortes!

quinta-feira, 5 de março de 2015